ENCIC - O Uso de Tecnologias de Comunicação e Informação em Sala de Aula

PALESTRA DO ENCIC 2013
ENCONTRO NACIONAL CLARETIANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA
O Uso de Tecnologias de Comunicação e Informação em Sala
de Aula
Palestrante: Professora Josefina Giacomini Kiefer
Data: 06/08/2013
Local: Sala de Aula / Faculdades Claretiano / Polo São Paulo
Tecnologia: engenhosidade humana. Alguns exemplos de tecnologias
acontecem acidentalmente, por exemplo; na pesquisa por ummeio e acaba sendo
usado em outro meio.
Tecnologia não é apenas máquina, exemplo tecnologia de linguagem e sua
materialização através de jornais, revistas, internet.
Técnica é a habilidade humana. Ela traz Poder, Conforto, etc.
A tecnologia muda o comportamento social, exemplos; a roda, o
computador, a televisão, etc.
Os estágios atuais da tecnologia não apenas aparelha, mas trás novasconexões cerebrais.
 Leitor pré-industrial (meditativo)
 Leitor movente: leitura de imagens
 Leitor imersivo (virtual) – multiplicidades de imagens.
Apesar de a tecnologia ser grandemente disseminada ainda existe uma
grande parcela da população que não a usa, por falta de acesso, ou por dificuldades
de manuseio. Alguns olham-nas com desconfiança, procurando adiar o máximo
possível omomento do encontro indesejado. Outros usam-nas na sua vida
diária, mas não sabem muito bem como as integrar na sua prática profissional.
Outros, ainda, procuram usá-las nas suas aulas sem, contudo, alterar as suas
práticas.
Uma minoria entusiasta desbrava caminho, explorando incessantemente
novos produtos e ideias, porém defronta-se com muitas dificuldades como também
perplexidades.
Paraproblematizar tema tão polêmico, inicialmente se faz necessário
conhecer um pouco a história da chegada dessas tecnologias às escolas e as
mudanças provocadas nos saberes exigidos dos professores.
Procuraremos situar a questão nesse contexto particular (ensino em sala de
aula) a fim de ter um panorama dos recursos tecnológicos mais usados; incluem as
tecnologias mais tradicionais, como rádio,televisão, gravação de áudio e vídeo,
além de sistemas multimídias, redes telemáticas, robótica e outros". Apesar de os
PCNs trazerem um conceito mais amplo das TICs, compreendendo "[...] os
diferentes meios de comunicação (jornalismo impresso, rádio e televisão), os livros,
os computadores etc" (BRASIL, 1998, p. 135), o conceito mais restrito foi adotado
com o objetivo de fazer um recorte napresente abordagem.
Existem também as questões relacionadas à exclusão digital, e ou; social. Sabemos,
no entanto, que a realidade de uma parcela significativa do público que frequenta a
escola não tem acesso a muitos meios de tecnologia, ou por falta de recurso ou por
exclusão social mesmo. Muitos alunos a maioria das escolas públicas brasileiras
estão muito distante de tudo o que está disponívelà nível de tecnologia,
aumentando mais ainda este índice nas regiões periféricas; ao menos é o que se

percebe quando de se verificar os fatores que impedem ou dificultam o uso das
tecnologias na prática docente.
Mas a autora (palestrante) encara de um modo mais otimista as
possibilidades de entrar nesse "embate". Uma das soluções para esse impasse está
na possibilidade de educadorestambém participarem das equipes produtoras
dessas novas tecnologias educativas. Para isso é preciso que os cursos de
formação de professores se preocupem em lhes garantir essas novas competências.
Que ao lado do saber científico e do saber pedagógico, sejam oferecidas ao
professor as condições para ser agente, produtor, operador e crítico dessas novas
educações mediadas pelas tecnologiaseletrônicas de comunicação e informação
(KENSKI, 2003, p. 49-50).
A expansão do uso das tecnologias de informação e comunicação no
contexto escolar vem exigindo profundas mudanças na prática pedagógica.
A Palestrante Professora Josefina Giacomini Kiefer associa como uma
vertente de ensino a comunicação gráfica, já que também exerce atividade
profissional junto a C.E.T. (Companhia de Engenharia de...
tracking img