Empresas familiares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2729 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

Universidade Guarulhos

Campos: Itaquá














ADMINISTRAÇÃO FAMILIAR















ITAQUAQUECETUBA

2012

[pic]

Universidade Guarulhos

Campos: Itaquá














ADMINISTRAÇÃO FAMILIAR


Trabalho apresentado à disciplina TGA 1, sob a orientação da Professora Lidiane Oliveira,como requisito parcial para obtenção de nota da referida disciplina.








ITAQUAQUECETUBA

2012

SUMÁRIO



Introdução................................................................................................................................... 04Conclusão................................................................................................................................... 11

Referências Bibliográfica............................................................................................................ 12



































1. INTRODUÇÃO

A empresa familiar se tornou um objeto de estudo específico em muito pouco tempo, pelo fato de ter forte domínio sobre o ambiente econômico na maioriados países industrializados e emergentes. Ela é considerada complexa, pois o que muitas vezes dificulta sua administração são os laços bastante estreitos entre família-propriedade-gestão.






























2. ADMINISTRAÇÃO FAMILIAR

Cerca de 90% dos grandes grupos empresariais brasileiros são de propriedade familiar, segundo Bethem (1994). Apartir desta constatação e com o aumento da concorrência internacional a partir da abertura comercial na década de 90, a dinâmica dos negócios começou a exigir um alto nível de competitividade e uma administração adequada às exigências desta nova realidade. Esta dinâmica vem impondo cada vez mais desafios à continuidade dos negócios sob o comando familiar.
A existência de problemas desobrevivência do empreendimento familiar tem relação com fatores relacionados à ineficácia da gestão, ao processo sucessório, à profissionalização de quadros e aos conflitos entre integrantes da família. O processo de sucessão em empresas familiares é falho, quando a herança é passada para a seguinte geração, muitas vezes a experiência acumulada não é transmitida ou bem aceita. Observa-se de geração ageração, as questões familiares podem agravar a condução dos negócios, afastando o empreendimento da gestão profissional.
Lodi (1998) aponta alguns conflitos de interesses entre família e empresa, destacando quatro problemas frequentes:
1) uso indevido dos recursos da empresa por seus membros;
2) falta de sistemas de planejamento financeiro e de apuração de custo;
3) resistência à modernização;4) emprego e promoção de parentes por favoritismo e não por competência.
Pode-se observar que as principais dificuldades encontradas por empresas administradas pela família empresária no que se refere à continuidade dos negócios entre as gerações. As empresas familiares que sobrevivem à gestão do seu fundador constituem uma exceção. Para Fritz (1993), 30% das empresas familiares passampara a segunda geração e apenas 10% para a terceira.


3. CONCEITOS DE EMPRESAS FAMILIARES

Não há um consenso na literatura sobre o que é uma empresa familiar.
Segundo Grzybovski e Tedesco (2002), com a criação das capitanias hereditárias, o Brasil foi dividido em quinze espaços geopolíticos. Sendo hereditárias, estas capitanias podiam ser transmitidas por herança sob os mesmosprincípios seguidos pela Monarquia, isto é, os filhos diretos herdavam todo o patrimônio.
De acordo com Fausto (2003), a carta de doação era o documento pelo qual o rei fazia ao donatário a concessão da terra e dos seus direitos sobre ela.
O conceito de empresa familiar defendido por Donnelley (1967), Lodi (1998) e Ricca (1998) é aquele em que a família controla o negócio há pelo...
tracking img