Emile durkheim

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1374 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[1858-1917]
França

Émile Durkheim pode ser considerado como um dos pensadores que mais contribuiu para a consolidação da Sociologia como ciência empírica e disciplina acadêmica. Pesquisador ativo, foi o primeiro professor universitário de Sociologia e deixou diversos seguidores intelectuais. Durkheim viveu na Europa em tempo de guerras, grande parte de seus pensamentos reflete atensão por ele vivida nesse período.
As referências necessárias para situar o pensamento de Durkheim são, por um lado, a Revolução Francesa e, por outro, o mundo de idéias que, sobre esses mesmos acontecimentos, vinha sendo formado por autores que, como Auguste Comte (1756-1857), passariam a ocupar um lugar de destaque na história da Sociologia.
Durkheim recebe também a influência da filosofiaracionalista de Kant, do darwinismo, e de outras fontes sociológicas. Mas seu pensamento não apenas faz reflete às idéias recebidas, elas trasmitem sua própria luz.

Aprofundando seus pensamentos:
A Sociologia pode ser definida, segundo Durkheim, como a "ciência das instituições, da sua gênese e do seu funcionamento", ou seja, ciência de "toda a crença, todo o comportamento instituído pelacoletividade". São os chamado fatos sociais o que constitui o objeto próprio dessa esfera do conhecimento que, até então, buscava tornar-se uma ciência autônoma. ".
Assim, pois, diferente do âmbito piscológico que poderia ser entendido através da introspecção, o âmbito social está sujeito a outras leis e por isso necessita de um método próprio para ser conhecido. Segundo o sociólogo francês, os fatossociais só poderiam se explicados por meio de seus efeitos sociais. A divisão do trabalho, por exemplo, é um fato social cuja origem não se encontraria nos interesses ou motivações individuais, mas em fenômenos sociais, como o volume e a densidade material e moral da sociedade. Da perspectiva de Durkheim, a sociedade não é o resultado de um somatório, associados e intrelaçados fazem nascer algonovo e externo àquelas consciências. Ainda que o todo só se forme pelo agrupamento das partes, a associação "dá origem ao nascimento de fenômenos que não provêm diretamente da natureza dos elementos associados". A sociedade é mais do que a soma dos indivíduos vivos que a compõem: é uma síntese que não se encontra em cada um desses elementos, assim como os diferentes aspectos da vida não se achamdecompostos nos átomos contidos na célula: a vida está no todo e não nas partes. Cada indivíduo é, portanto, apenas uma pequena parte de uma multidão de colaboradores, entre os quais estão membros de muitas gerações anteriores a ele e que já desapareceram.
Durkheim procura mostrar que a mentalidade do grupo não é a mesma que a dos indivíduos; que a consciência coletiva é diferente da consciênciaindividual, e que "um pensamento encontrado em todas as consciências particulares ou um movimento que todos repetem não são por isso fatos sociais", mas suas encarnações individuais. Os fenômenos que constituem a sociedade têm sua sede na coletividade e não em cada um dos seus membros. É nela que se devem buscar as explicações para os fatos sociais e não nas unidades que a compõem, porque asconsciências particulares, unindo-se, agindo e reagindo umas sobre as outras, fundindo-se, dão origem a uma realidade nova que é a consciência da sociedade. Uma coletividade tem as suas formas específicas de pensar e de sentir, às quais os seus membros se sujeitam, mas que diferem daquelas que eles praticariam se fossem abandonados a si mesmos. Dificilmente o indivíduo, por si só, poderia ter constituído oque quer que fosse que se assemelhasse à idéia dos deuses, aos mitos e aos dogmas das religiões, à idéia do dever e da disciplina moral, etc.
Os fatos sociais são formados por várias  representações coletivas, ou seja, pela forma "como a sociedade vê a si mesma e ao mundo que a rodeia", através de incontáveis fatores, entre eles, lendas, concepções religiosas e crenças morais. Segundo...
tracking img