Em busca de um corpo perfeito. maléficos físicos e psíquicos.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1409 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Em busca de um corpo perfeito
Maléficos psíquicos e físicos

Embora existam há séculos, é hoje em dia que mais se tem ouvido falar a respeito dos Transtornos Alimentares, isso porque estes transtornos transformaram-se em uma verdadeira epidemia em todo o mundo.
A cada dia aumenta o número de pessoas que desenvolve algum desses transtornos sendo que, a maiorincidência, cerca de 90%, ocorre em mulheres jovens que buscam atingir o padrão de beleza valorizado atualmente pela sociedade onde a magreza passou a ser a principal qualidade em detrimento da saúde e da harmonia das formas físicas.
São mulheres que desejam ter o corpo magro das modelos que aparecem nas capas das revistas e nos comerciais da televisão e que, para atingirem esse objetivo, submetem-se aregimes e dietas extremamente rigorosas e sem acompanhamento médico, além da utilização indiscriminada de inibidores de apetite, causando sérios danos que comprometem toda a sua vida e seu bem-estar físico, psíquico e social.
É comum que as pessoas que estão sofrendo desses males recusem-se a admitir que têm algum problema, assim como, existem também aquelas que sabem que há algo de errado comelas, porém, se envergonham com o que fazem e escondem seus sintomas das pessoas que lhe são próximas.
Havendo sinais ou sintomas que gerem a desconfiança da existência de algum desses transtornos é muito importante procurar ajuda médica imediatamente, para que se faça um bom exame físico e psicológico que vai diagnosticar o grau da doença e, em seguida, iniciar o tratamento adequado para cadacaso.
Os casos de transtornos alimentares estão geralmente associados a outros distúrbios como o abuso ou dependência de álcool ou drogas, transtornos de ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo e, principalmente a depressão.
A evolução do quadro destes transtornos pode ser gravíssima e ter como conseqüência graus variados de anemia até desnutrição, parada cardíaca, tentativas de suicídio emorte.
Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento adequado, melhor será a resposta do paciente e, por isso, é muito importante que este se conscientize e admita que tenha essa enfermidade para que seja capaz de manter o tratamento até sua melhora.
Embora graves todos estes transtornos, respondem muito bem aos cuidados e aos tratamentos disponíveis hoje em dia que podem incluirpsicoterapia individual ou em grupo, utilização de medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos, cuidados clínicos que revertam problemas físicos causados pelos sintomas e maus hábitos adquiridos durante a doença, orientação e acompanhamento nutricional e psicológico.
É muito importante também que haja apoio e incentivo da família e dos amigos para que a pessoa se sinta acolhida e motivada amanter o tratamento até o fim.
Quem sofre com os transtornos alimentares costuma ter traços de personalidade semelhantes, não que isso seja uma regra, mas é comum que sejam pessoas impulsivas, tenham uma baixa auto-estima, comparem-se muito às outras pessoas, sejam pessimistas e muito ansiosas, preocupam-se muito com sua imagem e têm pavor em tornarem-se gordas. Possuem grande sensibilidade e medo decríticas e de rejeição e por isso tendem a isolar-se.
Comer pode ser para elas, uma forma de aliviar a ansiedade que sentem pelas suas mais variadas dificuldades emocionais e de relacionamento social.

A busca de um corpo perfeito, produz alguns Transtornos Alimentares mais comuns : Anorexia Nervosa, Bulimia Nervosa e Transtorno do Comer Compulsivo.

Hoje em dia, ninguém se assusta quandoouve uma adolescente magricela recusar uma mordida no sanduíche da amiga dizendo estar de regime. O uso indiscriminado de inibidores de apetite, geralmente anfetaminas, tampouco gera reprimendas mais intensas (Jornal do Brasil, 14 de outubro de 2001).  Esses comportamentos, porém, podem ser um sinal de alerta para um problema mundial que atinge 1% da população feminina entre 18 e 40 anos e pode...
tracking img