Eliof

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1423 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
PERDA AUDITIVA PELO RUÍDO (PAIR)

A saúde do trabalhador carrega a particularidade de ser uma área que institui práticas inovadoras, práticas essas que em verdade estão em construção, que perseguem a integridade da atenção à saúde e a modificação de uma situação dada, conseguindo, muitas vezes, desfazer a dicotomia existente entre assistências individual e coletiva, entre vigilânciaepidemiológica e a vigilância sanitária, entre ações preventivas e curativas. Com este trabalho esperamos estar contribuindo para o conhecimento, no sentido de detectar, conhecer, pesquisar e analisar os fatores determinantes e condicionantes dos agravos à saúde relacionados aos processos e ambientes de trabalho, em seus aspectos tecnológico, social, organizacional e epidemiológico, com a finalidade deplanejar, executar e avaliar intervenções sobre esses aspectos, de forma a eliminá-los ou controlá-los.

Palavra- chave; PAIR

Introdução

Nos dias de hoje, é de conhecimento geral que o ruído está presente em nosso cotidiano. Seja no trânsito, ouvindo uma música, em casa, se divertindo ou no trabalho, o indivíduo está exposto direta ou indiretamente a níveis de ruído habitualmente bastanteelevados. Este ruído, se não é controlado, pode vir a causar danos no organismo, e principalmente, danos irreparáveis na audição. Ao se pensar nas diversidades dos problemas de saúde gerados pelos processos produtivos, emerge a necessidade de experiências que encontrem a compreensão dos agravos à saúde provocados pelo trabalho em grupos sociais. A velocidade das mudanças desses processos produtivosimplica o surgimento de situações de risco, em virtude da implantação de novas tecnologias e formas de organização do trabalho e, como conseqüências, uma mudança no padrão de saúde da classe trabalhadora. Pode-se considerar como fator importante deste processo, o aumento dos índices de poluição, principalmente nas grandes metrópoles. Considerado a terceira maior causa de poluição ambiental, atrásda poluição da água e do ar, o ruído é o agente físico nocivo à saúde mais freqüente no ambiente de trabalho, sendo caracterizado como fator de maior prevalência das origens de doenças ocupacionais. Inicialmente, os portadores de PAIR não costumam queixar-se de perda auditiva. Mais freqüentemente, eles se queixam de dificuldades para entender a fala, em ambientes ruidosos. À medida que esta lesãoauditiva avança em direção às freqüências mais baixas, o paciente sente dificuldade na discriminação auditiva de palavras, resultando em um isolamento do indivíduo. Este passa a apresentar dificuldades nas interações familiares, no trabalho e no lazer. Portanto, quando analisamos as conseqüências da perda auditiva ocupacional na vida diária do trabalhador, faz-se necessário levar em consideraçãoa interferência na sua vida profissional, social e familiar. Este prejuízo afeta não somente o indivíduo, mas a sua família e todas as pessoas que com ele convivem em seu cotidiano. A perda auditiva progride mais rapidamente nos primeiros 5 a 7 anos de exposição . Após este período ela tende a progredir de forma mais lenta até os 15 anos, quando tende a se estabilizar. Diferentes indivíduos podemter respostas opostas à exposição. Essa variabilidade não depende exclusivamente das características físicas do som, mas de uma série de fatores endógenos e exógenos que podem afetar a audição e interagir com o ruído.

Principais Características da Doença:

 Ser sempre neurossensorial, por comprometer as células do órgão de Córti;
 Ser quase sempre bilateral (ouvidos direito e esquerdo comperdas similares) e, uma vez instalada, irreversível;
 Muito raramente provocar perdas profundas não ultrapassando geralmente os 40 dB (NA) nas altas;
 A perda tem seu início, e predomina, nas freqüências de 6.000, 4.000 e/ou 3.000 Hz progredindo lentamente às freqüências 8.000, 2.000, 1.000, 500 e 250 Hz para atingir seu nível máximo, nas freqüências mais altas, nos primeiros 10 a 15 anos...
tracking img