Eleve sua popularidade!

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1789 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
RESENHA DO LIVRO:

BORGES, M., DALL’AGNOL, D. e DUTRA, D. Ética. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002, 141 pp. (Coleção: O que você precisa saber sobre...)

Milene Consenso Tonetto (Universidade Federal de Santa Catarina) mitonetto@zipmail.com.br 1 – Apresentação do livro Os autores do livro O que você precisa saber sobre Ética apresentam a ética como uma disciplina que se propõe a compreenderos critérios que orientam o julgamento da ação humana de modo a apontar o que é moralmente errado ou correto. No capítulo 1, podemos perceber que a ética pode ser dividida em três campos principais de estudo: meta-ética, ética normativa e ética aplicada. No livro apenas a ética normativa é examinada e discutida em suas principais correntes de pensamento e, também, os principais autores que asdefendem. A ética normativa estuda as correntes de determinação daquilo que é correto. A sua preocupação básica é estabelecer um critério (princípios, modos de ser, valores etc.) para distinguir as ações corretas e as incorretas. O livro apresenta os fundamentos das principais escolas filosóficas da ética normativa, comparando de forma crítica as diferenças que se observam entre uma e outra equestionando os conceitos sobre os quais se estabelecem. As principais teorias da ética normativa podem ser classificadas dependendo do modo como elas fazem a distinção entre aquilo que é correto ou não. Elas costumam ser agrupadas da seguinte maneira: éticas teleológicas e éticas deontológicas. As éticas teleológicas determinam o que é correto de acordo com uma certa finalidade (télos) que se pretendeatingir. As subdivisões das éticas teleológicas são: a ética conseqüencialista e a ética de virtudes. As duas correntes principais do conseqüencialismo são o egoísmo ético e o utilitarismo. O utilitarismo, examinado no capítulo 3, entende que a ação moral é a que eleva ao máximo a felicidade geral e assim encontra o sentido ético naquilo que muitas vezes justifica o sentido da existência humana: afelicidade. O utilitarismo afirma, então, que a felicidade é o maior bem que podemos alcançar e que as ações são corretas ou não na
ethic@ Florianópolis v.1 n.2 p. 217-221 Dez. 2002

218

TONETTO, M.C. O que você precisa saber sobre ética.

medida em que constituem meios adequados para atingir esse fim. O desenvolvimento histórico do utilitarismo, seus principais problemas, seus pontospositivos e negativos e uma análise detalhada de suas características centrais são também discutidos pelos autores. A ética de virtudes, abordada no capítulo 4, assevera que a ação ética é aquela praticada por um agente virtuoso e, por esse motivo, a compreensão da natureza essencial da ética deve ser radicada no caráter. Podemos dizer que a doutrina moral desenvolvida por Aristóteles no livro Ética aNicômaco é o marco principal da ética de virtudes. Contemporaneamente, um dos defensores da ética de virtudes é Alasdair MacIntyre. No livro, a ética de virtudes é discutida criticamente tanto na versão aristotélica quanto na sua reformulação contemporânea. Por outro lado, as éticas deontológicas procuram determinar o que é correto, não segundo uma finalidade a ser atingida, mas segundo as regrasem que se fundamenta a ação. As principais correntes da ética deontológica são: o intuicionismo moral; a ética de Kant; a ética do discurso e o contratualismo moral. A ética de Kant, uma ética do dever que é analisada no capítulo 2, pretende discriminar as regras do que é certo ou errado moralmente utilizando um princípio moral de universalização de máximas (regras subjetivas de ação) denominado“imperativo categórico”. Segundo este princípio, a ação moral é aquela que pode ser expressa por uma lei moral universal. Em outras palavras, se ela puder ser observada e seguida por todos os seres humanos. As diferentes formulações do imperativo categórico, os prós e contras da ética de Kant são discutidos pelos autores. A corrente denominada contratualismo moral inspirou-se, em certa medida,...
tracking img