Ehec

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2016 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
EHEC – Escherichia coli entero-hemorrágica (O157:H7)



1 – Características gerais do microrganismo




São microrganismos anaeróbios facultativos, que fazem parte da flora intestinal de animais de sangue quente. São bacilos Gram-negativos, não esporulados e são capazes de fermentar glicose com produção de ácido e gás. Apresentam antígenos somáticos O (relacionado à membranaexterna), H (relacionado aos flagelos) e K (relacionados à cápsula).

Por ser uma enterobactéria, sua presença em um alimento indica que esse alimento tem uma contaminação microbiana de origem fecal, estando em condições higiênicas insatisfatórias. Além disso, essa linhagem, O157:H7, é comprovadamente patogênica para o homem.

As propriedades que diferenciam as cepas de EHEC das demaiscepas de Escherichia coli são:

a) Não são capazes de utilizar sorbitol

b) São β-glucuronidase negativas

c) Têm dificuldades de se multiplicarem ou não se multiplicam nas temperaturas normalmente empregadas para pesquisa de E. coli em alimentos (44,5ºC/45,5ºC)



2 – Mecanismo de patogenicidade




No geral, as bactérias Gram-negativas fazem aderência específicaatravés do pili. As EHEC possuem o pili extremamente longo que se liga ao enterócito. A bactéria então contrai o pili e faz o achatamento das microvilosidades do enterócito. E então, quando acontece em larga escala no intestino, ao perder as microvilosidades, passa a não ocorrer a absorção de água, eletrólitos e nutrientes, causando a diarreia. É o chamado efeito AE das EHEC.

Além disso, omecanismo de patogenicidade está relacionado com a produção de citotoxinas, denominadas verotoxinas (VT’s) ou toxinas shiga-like (SLT’s).

As citotoxinas são formadas por duas subunidades, sendo uma delas responsável pela ligação com a fração 60S dos ribossomos dos enterócitos, inibindo a síntese proteica.

Além disso, as EHEC tem, também, um gene cromossomal denominado eae,responsável pelas alterações do citoesqueleto das células epiteliais da mucosa intestinal, com destruição das microvilosidades e acúmulo de actina no local da adesão. Verifica-se ação nos vasos sanguíneos das microvilosidades, com eliminação de sangue nas fezes.



3 – Como e onde aparecem



O gado é um reservatório natural de EHEC, razão pela qual os alimentos de origem animal,principalmente a carne bovina, parecem ser o principal veículo desse patógeno. Diversos surtos de colite hemorrágica ocorridos nos Estados Unidos, Canadá e Japão foram claramente associados com o consumo de hambúrgueres. Por isso, a síndrome provocada por EHEC tem recebido a denominação de “doença do hambúrguer”.

Na maioria dos surtos descritos, a transmissão foi veiculada através de alimentos deorigem bovina, tendo sido a carne moída, cru ou mal passada, implicada em quase todos os surtos documentados e mesmo em casos esporádicos.

A E. coli O157:H7 pode ser encontrada em algumas fazendas de gado e ser isolada de bovinos saudáveis. A carne pode ser contaminada durante o abate ou processamento inadequados, quando as bactérias intestinais contaminam a carcaça ou quando a carne émoída. A carne contaminada, especialmente a carne moída, tem aparência e cheiro normais.

A ingestão de leite cru também tem sido associada a surtos, através da contaminação do úbere das vacas ou dos equipamentos de ordenha com conteúdo fecal. Embora a quantidade de microrganismos necessária para causar a doença não seja conhecida (dose infectante), suspeita-se que seja similar à da Shigella sp(10 microrganismos).



4 – Alimentos envolvidos




O trato-intestinal de ruminantes, particularmente bovinos e ovinos, parece ser o principal reservatório das cepas entero-hemorrágicas de E.coli O157:H7. Já foram incriminados em surtos, dentre outros alimentos, leite cru, carne bovina mal cozida e outros produtos à base de carne (rosbifes, hambúrgueres e salsichas tipo...
tracking img