Egito antigo - o reino novo e sua influencia na propagação da cultura egípcia peolo mundo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4107 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE SABERES

GILBERTO DE SOUZA OGÊNIO

EGITO ANTIGO
O REINO NOVO E SUA INFLUÊNCIA NA PROPAGAÇÃO DA CULTURA EGÍPCIA PELO MUNDO

VITÓRIA
2011
GILBERTO DE SOUZA OGÊNIO

EGITO ANTIGO
O REINO NOVO E SUA INFLUÊNCIA NA PROPAGAÇÃO DA CULTURA EGÍPCIA PELO MUNDO

Artigo apresentado à disciplina de História da África do Curso de História da Faculdade Saberes, como requisito parcialpara avaliação.


EGITO ANTIGO - O REINO NOVO E SUA INFLUÊNCIA NA PROPAGAÇÃO DA CULTURA EGÍPCIA PELO MUNDO
Gilberto de Souza Ogênio
Quando pensamos em história antiga e sobre tudo em história da África, é inevitável nos sobrevir à cabeça, quase que automaticamente, o Egito Antigo. Não é por menos, para onde quer que olharmos é bem provável vermos algo relacionado ao Antigo Egito. Sejapela forte presença do cristianismo em nosso país, sendo o Egito parte importante dessa história religiosa; seja pela mídia cinematográfica hollywoodiana ou nacional; pela presença marcante nas peças teatrais; na educação, desde infantil até o ensino superior ou mesmo por sua representação em diversas festas culturais Brasil afora, o Egito antigo nunca foi tão atual. Contudo muitas outras coisasprovêm do antigo Egito e por vezes passam despercebidas, não por especialistas no ramo, mais pelo conhecimento popular que geralmente absorve apenas alguns aspectos mais marcantes da cultura de cada país. Se perguntarmos a um cidadão qualquer, em nosso país ou mesmo em qualquer outro canto do planeta, se este conhece algo sobre o Egito; provavelmente responderá que sim. Se o questionarmos sobre oconteúdo de seu conhecimento; provavelmente responderá: O Egito é o país das pirâmides, das múmias, dos faraós, das tumbas ou mesmo, é o país que escravizou o povo de Israel, o país das dez pragas. Tudo isso ligado não ao Egito moderno mais sim ao antigo Egito e que até hoje está bem conservado na memória popular.
Em tempos ainda tão remotos, essa civilização conheceu, dominou e desenvolveu alingüística; a escrita; a matemática; a medicina, juntamente com as técnicas de mumificação; a metalurgia; a química; as técnicas de navegação, bem como as construções dos primeiros navios descritos na história; a construção civil, especialmente obras de luxo como, templos, palácios, tumbas e as famosas pirâmides; as técnicas militares e da irrigação. Deixou um legado tão rico e duradouro que até hojecausa constantes inquietações e investigações sobre suas proezas. É fato que uma história antiga só se faz conhecida quando desta sobra resquícios suficientes para proporcionar sobre tal, uma gama de conhecimentos, que sejam interessantes, aos profissionais competentes, sua investigação, propagação e conseqüente provável elucidação. A historia Egípcia possui essa característica; proporciona uma fartaquantidade de vestígios sobre sua existência e evolução, que torna possível seu estudo em detalhes. Toda essa riqueza histórico-cultural se deve em especial ao período do Reino Novo, ocorrido entre os anos de 1560-1070 A.C. que gerou toda uma revolução artística, política e religiosa, da qual muito se tem conservado em boas condições até aos dias de hoje.
Por toda a sua grandeza, não se fazpossível nesse um único trabalho abordar toda a história Egípcia, nem mesmo todo o período do Reino Novo; com isso abordaremos com maior ênfase o período de Amarna que durou entre 17 e 20 anos, compreende o período do reinado do faraó Amenófis IV também conhecido por Akhenaton, e o período pós Amarna, referente ao governo do Faraó Tutankhamon, filho de Akhenaton, que viveu mais ou menos por oito anosapós a morte do pai. Esses dois períodos são de suma importância; o primeiro por ser o período das revoluções acima citadas e o segundo devido sua referência com a maior descoberta já feita sobre o Egito antigo; ocorrida em 1922, quando o arqueólogo inglês Howard Carter, descobriu ainda intacta, no vale dos reis, a tumba do Faraó Tutankhamon, com mais de cinco mil utensílios, maioria em ouro...
tracking img