Educação especial: altas habilidades

Páginas: 12 (2970 palavras) Publicado: 6 de abril de 2011
Sumário
Introdução 2
Transtorno Autista 3
Formulação e Avaliação Diagnóstica 3
Diagnóstico Diferencial 4
Tratamento 4
Tipos mais usuais de Intervenção 5
Transtorno de Rett 7
Diagnóstico Diferencial 7
Critérios Diagnósticos para F84. 2 - 299.80 Transtorno de Rett 7
Tratamento 8
Transtorno de Asperger 9
Diagnóstico 9
Tratamento 10
Transtorno Desintegrativo da Infância(TDI) 11
Diagnóstico e tratamento 11
Transtorno Invasivo do Desenvolvimento Sem Outra Especificação (TID-SOE) 11
Transtornos Invasivos do Desenvolvimento e Seus Diagnósticos Diferenciais 12
Conclusão 13
Referências 14

Altas Habilidades
Introdução

Vários transtornos psicopatológicos e deficiências na infância e adolescência podem manifestar, primeiramente, de uma forma bastantesutil, muitas vezes apresentando grandes dificuldades para o avaliador durante a formulação do diagnóstico e para o avaliador durante a formulação do diagnóstico e para o professor especializado em educação especial.
Nesse período, é possível observar que a aquisição de uma série de habilidades, sejam de ordem psicomotora e/ou social, pode ficar comprometida, o que traz sérios prejuízos à vidadessas pessoas. Profissionais das áreas da saúde e da educação podem deparar-se com alguns fenômenos de desenvolvimento e comportamento sem terem tido conhecimento suficiente que possam lhes garantir uma prestação de serviço mais eficiente e de maior qualidade.
Este trabalho propõe a abordagem dos transtornos psicológicos, psiquiátricos e/ou neurológicos que, em muitos casos, podem vir associados como Retardo do Desenvolvimento Neuropsico-motor e surgem a partir do início da infância até o término da adolescência, alguns, inclusive já na fase da juventude.

Transtorno Autista

Formulação e Avaliação Diagnóstica

Ainda que o Transtorno Autista seja considerado uma desordem que pode envolver comprometimento de ordem neurológica, não há ainda um único tipo de exame ou procedimentomédico que confirme isoladamente o seu diagnostico. Por isso é necessário realizar uma serie de exames, avaliações e análise com fins de compilar um número suficiente de informações que permita esboçar mais seguramente esse quadro clinicam. Os exames mais comuns são os que avaliam a capacidade auditiva (audiometria, timpanometria), os que indicam a possibilidade de presença de tumores, convulsões ouanormalidades cerebrais (eletro encefalograma, imagens por tomografias computadorizadas e por ressonância magnética).
Buscando-se articular informações obtidas a partir desses exames, é importante avaliar a criança em termos de seu desenvolvimento, de modo a identificar como se apresentam suas habilidades emocionais, sociais, comunicativas e cognitivas através da observação direta da criança no seuambiente natural (em vídeos e da realização de entrevistas com pais, professores ou outros responsáveis. Essas analises deverão ter continuidade no decorrer do tratamento, pois podem ocorrer mudanças que precisarão ser identificadas. A partir dessas informações, será possível estabelecer metas e os objetivos necessários e adequados.
Além desses procedimentos, a utilização de instrumentospadronizados para fins de avaliação dessa síndrome tem sido cada vez mais necessária como um recurso alternativo que complemente as informações previamente adquiridas. Dentre esses instrumentos padronizados, podem-se destacar diversos questionários, checklists (lista de observação de comportamento), escalas e inventários especialmente desenvolvidos para essa finalidade. São alguns exemplos: SAB-2,questionário composto de 130 itens aplicados ás mães para avaliar retrospectivamente os sintomas de autismo de seus filhos antes dos dois anos de idade, o IBSE – Behavioral Summarized Evaluation Scale, escala de observação composta por 19 itens para uso em crianças de seis a 48 meses de idade, o CHAT Checklist for Autism in Toddlers, utilizado quando a criança tem por volta de 18 até 36 meses, o CARS...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Resumo:– Política de Educação Especial – Altas habilidades/Superdotação
  • EDUCAÇÃO DE ALUNOS COM ALTAS HABILIDADES
  • Alunos com necessidades especiais: Deficiência intelectual e Altas habilidades
  • EDUCAÇÃO INCLUSIVA COM ÊNFASE EM ALTAS HABILIDADES E SUPERDOTAÇÃO
  • Atividade Avaliativa de Área Intelectual e Condutas Típicas
  • Análise metodológica dos trabalhos de altas habilidades/superdotação apresentados no gt 15- educação especial
  • Altas habilidades
  • Altas habilidades

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!