Ed- engenharia 6 semestre

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3871 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Estudos Disciplinares 6 período Engenharia

Exercicio 1(João Carlos de Oliveira)
1-Uma barra prismática (eixo reto e seção transversal constante) tem eixo na posição horizontal e cinco metros de comprimento, sendo simplesmente apoiada nas suas extremidades (o apoio esquerdo é simples fixo e o outro é simples móvel, impedindo translação vertical) e recebendo uma força vertical na sua seçãocentral. Deseja-se saber o maior valor desta força, com segurança dois e meio, sabendo que uma barra idêntica, mas engastada em uma extremidade e recebendo oitenta quilonewton (kN) como força vertical aplicada na outra extremidade, mostra ruína.
A 32 kN
B 128 kN
C 80 kN
D 64 kN
E 256 kN
Você já respondeu e acertou esse exercício. A resposta correta é: B.
Resolução:
[pic]Exercicio 1 (Fernando Augusto)

Estudando inicialmente a barra engastada, temos que:
M=Fxd
M=80kN x 5m
M=400kNm
Substituindo na formula da tensão:
σ= [pic]
σ= [pic]
Estudando a outra barra, temos:
M=[pic]x 2.5
Substituindo na formula da tensão:
σ=[pic]x 2.5[pic]
Igualando as equações, e dividindo a primeira pelo fator de segurança = 2.5
[pic] = [pic]x 2.5[pic]
Cancelando a constante[pic]:
F=[pic]=128kN
ALTERNATIVA CORRETA LETRA B


Exercício 2 da ED (Fabio Rodrigues)
Faz se o DCL, determinando como ponto crítico o engaste. Colocando o momento devido a força (F).
Calcula-se o centróide da peça e em seguida o momento de inércia (45x10³ mm⁴). Depois faz-se o cálculo das forças atuantes em x, y e momentos.
Faz-se a representação e análise das forças de tração e compressão.Calculam-se estas forças através das fórmulas Tração = força/área (0) e Tração = (momento * distância) / momento de inércia (1,33xP Mpa – para tração e compressão).
Realiza-se a superposição de efeitos para descobrir a Tensão Máx de tração e compressão.
Dada a tensão Admissível de 100Mpa, calcular a tração e compressão limites.
Encontra-se o valor de 75,1 KN
RESPOSTA CERTA É A D


Segue aResolução do Exercício 2 da ED: (Vivian Gonçalves)
Como não há força normal atuando, para achar a força máxima basta calcular pela seguinte fórmula:
tensão admissível = momento fletor * distância ao centróide / momento de inércia
Mudar as unidades de cm para mm
O momento fletor é: F * 4000 mm
A distância ao centróide é: 150 mm pois é o centro da seção transversal do retângulo em relação aoeixo y.
O momento de inércia é: b * h ao cubo / 12 sendo assim: 200mm * (300mm) ao cubo / 12 = 450000000 mm4
Assim ficará: 
100 N/mm2 = F * 4000mm * 150mm / 450000000mm4
Logo acha-se a F = 75kN .
Questão 3 (Andrea Aparecida)
Resposta correta:
|C[pic] |712,6  kgf/cm2 | Justificativa:
Faz-se o DCL da barra e pela equação do momento em A e encontra-se By=-1/2 tf.
Pelo somatório de força em y encontra-se Ay=5,5 tf.
Pelo somatório de força em x encontra-se Ax=0 tf.
Fazendo-se um corte na barra encontra-se N=0, V=2,5 tf e M=6 tf*m ou 600 tf*cm.
Utilizando a fórmula da tensão sabendo os valores de M, d e I encontra-se 0,7 tf/cm² ou 725,8 kgf.


Exercicío 4ED. (Carlos Maia)
Limite de Tensão:
Tensão adm.(tração) = [pic] Tensão adm.(comp.) = [pic]
Ponto critico: M(momento) = P.3 = 3 PNm
Calculo Centróide e Momento de Inércia.
X = 0
Ӯ = ΣA1-Y1/ ΣAi = A1 Ӯ1+ A2 Ӯ2+ A3 Ӯ3/A1+A2+A3 = (15.200).100+(220.20).190+(15.200).100/(15.200)+(220+20)+15.200 = 138mm
Ix=BH^3/12
Obs: A peça gira no eixo X
IX1 =15.200^3/12 = 10^6mm^4
IX2 = 220.20^3/12 = 146,6.10^3mm^4
IX3 = 15.200^3/12 = 10^6mm^4
IX = [IX1+A1(Y-Y1)^2]+[ IX2+A2(Y-Y2)^2]+[ IX3+A3(Y-Y3)^2] => IX = 40,6.10^6mm^4
Calculo Força Normal:
Tensão = F/A = 10P/10400 = 9,6.10^-4P
Flexão:
Tensão=M.d/I
Tração Máxima -> Tensão=3.10^3P.62mm/22,7.10^6mm^4 = 8,19.10^-3P (MPa)
Comp. Máxima -> Tensão=3.10^3P.138mm/22,7.10^6mm^4 = 18,23.10^-3P (MPa)...
tracking img