Ecossistema aquatico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2386 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Ecossistemas aquáticos

Existem dois tipos de ecossitemas aquáticos o limnociclo e o talassociclo


Limnociclo

O limnociclo é o biociclo dulcícola, ou seja, é o conjunto dos seres vivos que vivem em água doce e apresenta dois biócoros distintos:[1]
• O biócoro das águas lênticas: Águas lênticas são águas paradas como pântanos, brejos, poças de água e lagoas de água doce e parada;• O biócoro das águas lóticas: Águas lóticas são águas correntes como riachos, ribeirões, rios e lagos de água doce e corrente.

Talassociclo

O talassociclo é o biociclo marinho, ou seja, o conjunto dos ecossistemas marinhos[1]. O talassociclo é estudado pela biologia marinha.
O talassociclo ocupa quase três quartos da superfície terrestre e tem uma profundidade média de quase quatroquilómetros, podendo considerar-se o maior dos três biociclos da biosfera. Caracteriza-se por ser composto de ecossistemas aquáticos mas, ao contrário do limnociclo, a água do mar é salgada, ou seja, possui sais dissolvidos numa quantidade (em média, cerca de 3,5 %) que faz com que os seres vivos que aí existem devem estar adaptados a este fator abiótico. Os seres vivos que vivem em água salgada sãorepresentados pelo plâncton, nécton e benton.

Fatores abióticos fundamentais no talassociclo

Perto da costa, principalmente nos estuários, a água do mar sofre a influência das marés e dos efluentes provenientes do epinociclo, ou seja, do meio terrestre. À superfície, os oceanos sofrem ainda a influência dos fatores atmosféricos, principalmente o calor do Sol e os ventos, que promovem adeslocação das massas de água. No entanto, à medida que aumenta a profundidade, são a falta de iluminação (por a luz solar ser absorvida pelas partículas em suspensão e substâncias dissolvidas, para além da refração), da diminuição do oxigénio dissolvido (por haver menos ou nenhuma fotossíntese), e a pressão, que aumenta em uma atmosfera por cada dez metros de profundidade, os principais fatores quedeterminam quais os seres vivos que aí podem existir[2].

Divisões do meio marinho

Do ponto de vista físico, o meio marinho divide-se principalmente por zonas de profundidade (ou de distância da costa), considerando-se geralmente dois tipos de divisão[3]:
• Por distância à costa:
o Província nerítica, próxima da costa, abrangendo a plataforma continental; nesta zona, muitas vezesdistingue-se a zona litoral, que sofre a influência das marés, e os estuários, onde a água do mar se encontra sempre misturada com água doce dos rios; e
o Província oceânica, correspondente às águas que não sofrem influência dos continentes (do ponto de vista legal correspondente, em geral, ao alto-mar); e
• Zonas por profundidade[4]:
o Plataforma continental, a regiãogeralmente com pouco declive que corresponde à continuação dos continentes, em média estendendo-se até uma profundidade de 200 m;
o Talude continental, a região de declive acentuado que corresponde ao término dos continentes, ou seja, onde termina a crusta continental e começa a oceânica, em média próximo dos 2000 m de profundidade;
o Zona abissal, correspondente à planícies abissais,uma região de declive suave, que se estende até cerca dos 6000 m de profundidade; e
o Zona hadal, nas fossas oceânicas, a mais profunda das quais, a Fossa das Marianas, a leste das Filipinas, tem uma produndidade máxima de cerca de 11 000 m.
Do ponto de vista biológico, as grandes divisões adotadas são geralmente as seguintes:
• Domínio pelágico, as águas livres da influência dosfundos oceânicos, onde vive o plâncton e seus predadores, e
• Domínio bêntico, o conjunto dos biomas assentes no substrato; estes grandes domínios, por sua vez, são subdivididos segundo as zonas de profundidade indicadas acima. Alguns autores consideram estas subdivisões os biócoros do meio marinho[5].
Outro fator que condiciona os biomas existentes nestes domínios é a penetração da luz...
tracking img