Econonia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1196 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]






















































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 A REESTRUTURAÇÃO CAPITALISTA E A CRISE DOS ESTADOS NACIONAIS 4
2.1 Políticas Brasileiras Para o Desenvolvimento Local.. 4
2.1.1 Ações Empregadas no Desenvolvimento Local em Paracatu (MG)4
2.1.1.1 Planejamento Estratégico Envolvido no Desenvolvimento Local 4

3 CONCLUSÃO...........................................................................................................5

REFERÊNCIAS 8

APÊNDICES 9
APÊNDICE A – Instrumento de pesquisa utilizado na coleta de dados 10

ANEXOS 11
ANEXO A – Outras Questões Solicitadas 12
INTRODUÇÃO

Com a crise dosestados nacionais, o governo passou por uma reestruturação capitalista a partir da vigência da Constituição de 1988. Com as mudanças as responsabilidades dos Municípios aumentaram, consequentemente passou a ter nova visão de como administrar melhor o poder público. Investindo em recursos da saúde, na educação que passaram a depender mais dos municípios. Como a extensão do país é grande, osmunicípios passaram também a sofrer sérios problemas econômicos e gerenciais, aumentando assim o grau de complexidade. Para o desenvolvimento local, faltam regras que definam a cooperação intergovernamental fortalecendo assim a participação da sociedade na formulação de controle das políticas públicas e urbanas. Diante deste cenário propõe-se a importância do planejamento estratégico organizacional, comouma ferramenta auxiliar para um bom gerenciamento das empresas dentro de um mercado totalmente competitivo permitindo a criação de novos planos previamente determinando metas e estratégias, diminuindo a possibilidade de uma determinada tomada de decisão equivocada num mercado completamente competitivo sem margens de erros.





a reestruturação capitalista e a crise dos estados nacionaisDesde o ano de 1970 a classe operária sentiu um golpe significativo, mudando seu perfil operacional. Com a implantação de novas tecnologias as fábricas diminuíram consideravelmente o numero de seus operários, sendo os que mais sofreram com as mudanças. Aqueles que obtinham pouca capacitação desenvolviam apenas trabalhos braçais doravante seriam substituídos pelas máquinas. Á partirdo ano de 1980 houve a retração da indústria mundial ao qual não repetiu o crescimento das décadas anteriores.

“O fenômeno que se convencionou chamar de globalização que se desenvolveu com especial intensidade nos dias atuais, a rigor não constituiu algo inteiramente novo. Sua origem pode ser encontrada nos movimentos migratórios que os seres humanos foram obrigados aempreender ao longo da luta pela sobrevivência (...) a ancianidade desse périplo planetário é confirmada pela extraordinária dispensão geográfica do Homo sapiens sapiens, ancestral anatômico do homem moderno” (Lewandowski, 2004, p.5)

O maior contribuinte para o desenvolvimento do mundo e do Brasil não é mais o governo como um todo, mas sim as cidades que assumiram um grande papel naeconomia, e com novos projetos para alavancar recursos para a economia local, isto se devem a uma série de estratégia e ações que visam ativar o capital local, mas acabam por interferir em todo o território nacional, os aspectos a serem considerados é saber quem são os agentes responsáveis por este desenvolvimento local, são muitas instituições grupos e indivíduos que estão envolvidos, cooperativas,agencia de desenvolvimento, associações industriais e comerciais, entidades empresariais, sindicatos, governos locais e dentre outra instância de poder.

1 Políticas brasileiras para o desenvolvimento local.

O município dispõe de localização privilegiada com relação a centros maiores e municípios de destaque na sua microrregião, significativa riqueza de solo elevado potencial...
tracking img