Economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 31 (7701 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO 
Adam Smith, transformou uma época, com a publicação da obra, A Riqueza das Nações, com suas “Leis de Mercado”,  pensava na ordem social que harmonizava  o caos potencial dos interesses individuais e o traduz em bem-estar para a sociedade.

Os interesses privados são agraciados por uma mão invisível que os orienta para o bem-estar coletivo.

 Teoria do mercado de Smith se tornainquestionável a matriz teórica da ordem social liberal e a economia passa a ser entendida como essência da sociedade.

Biografia
Adam Smith era filho de um controlador alfandegário em Kirkcaldy, na Escócia. A data exata do seu nascimento é desconhecida, mas ele foi batizado em Kirkcaldy em 5 de junho de 1723, tendo o seu pai falecido seis meses antes.

Aos 4 anos , foi sequestrado por ciganose graças ao seu tio os ciganos foram localizados e perseguidos e na fuga abandonaram smith.Desde a infância Adam foi um menino muito destraído.

Aos 15 anos, Smith matriculou-se na Universidade de Glasgow, onde estudou Filosofia moral com o "inesquecível" Francis Hutcheson um filósofo irlandês conhecido pelas suas teses sobre Ética e por ter sido professor e fonte de inspiração de Adam Smith.Em 1740, entrou para o Balliol College da Universidade de Oxford, mas, como disse William Robert Scott, "o Oxford deste tempo deu-lhe pouca ajuda para o que viria a ser a sua obra" e acabou por abdicar da sua bolsa em 1746. Em 1748 começou a dar aulas em Edimburgo sob o patronato de Lord Kames. Algumas destas aulas eram de retórica e de literatura, mas mais tarde dedicou-se à cadeira de"progresso da opulência", e foi então, em finais dos anos 1740, que ele expôs pela primeira vez a filosofia econômica do "sistema simples e óbvio da liberdade natural" que ele viria a proclamar no seu Inquérito sobre a natureza e as causas da riqueza das Nações.

A popularidade da Riqueza das Nações  foi imensa já de imediato, tendo sido objeto de diversas edições e traduções em várias línguas.Independentemente de polêmicas infindáveis sobre a paternidade da economia política como um todo, ou mesmo sobre a paternidade desta ou daquela idéia particular, é inegável que a obra conferiu ao saber econômico status acadêmico, sistematicidade e abrangência inéditas, além de ter despertado o interesse tanto de homens práticos como daqueles mais interessados em questões de teoria abstrata.  Trata-se, defato, de obra que lança um paradigma, no sentido kuhniano de uma realização exemplar, posto que todos os economistas importantes posteriores a ela se referem e a tomam como ponto de partida.

Por volta de 1750, conheceu o filósofo David Hume, ao lado de Adam Smith  , é uma das figuras mais importantes do chamado iluminismo escocês, sendo frequentemente considerado como um dos maiores escritores efilósofos de língua inglesa, que se tornou um dos seus mais próximos amigos.

Em 1751, Smith foi nomeado professor de Lógica na Universidade de Glasgow, passando, no ano seguinte, a dar a cadeira de Filosofia Moral. Nas suas aulas, cobria os campos da ética, retórica, jurisprudência e política econômica ou ainda "polícia e rendimento".

Em 1759, publicou a Teoria dos sentimentos morais, umadas suas mais conhecidas obras, incorporando algumas das suas aulas de Glasgow. Este trabalho, que estabeleceu a reputação de Smith durante a sua própria vida, refere-se à explicação da aprovação ou desaprovação moral. A sua capacidade de argumentação, fluência e persuasão, mesmo que através de uso da retórica, estão ali bem patenteados. Ele baseia a sua explicação, não como o terceiro LordShaftesbury e Hutcheson, Conhecido pelas suas teses sobre Ética e por ter sido professor e fonte de inspiração de Adam Smith,tinham feito, num "sentido moral", nem como David Hume, com base num decisivo sentido de utilidade, mas sim na empatia.

Tem havido uma controvérsia considerável quanto a saber se há ou não uma contradição ou contraste entre a ênfase de Smith na empatia (ou compaixão) como...
tracking img