Economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2322 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
QUESTÕES: ESTUDO DE CASO (O BRASIL E A CRISE).

1) Na década de 1980 a inflação era descontrolada a cada dia havia aumentos exorbitantes, vários planos foram lançados na época, Plano Cruzado, Bresser, mas todos sem sucesso. A taxa de inflação em 1989 chegou a marcar 1.972,91%.


2) É o aumento generalizado e persistente no valor dos preços.


3) Foram eles Plano Cruzado,Plano Bresser e Plano Verão. Não nenhum deles foi bem sucedido, não conseguiram controlar a inflação na época.


4) Sim a inflação alta corrói os rendimentos de certas classes sociais, como assalariados e pensionistas ou aposentados, mas beneficia aqueles que têm dinheiro para investimentos. A relação e que taxa de inflação e uma medidor da variação dos preços e concentração de rendamede a quantidade de pessoas na população por poder aquisitivo, o poder de compra, no caso do Brasil somos a 3ª pior em concentração de renda.


5) Collor adotou um radical congelamento da poupança, além de ter surtido pouco efeito econômico, o resultado foi que a economia diminuiu 4,4% em 1990 e cresceu apenas 1% no ano seguinte. No casa da inflação apresentou uma leve queda para 472% masvoltou a crescer no ano seguinte.


6) Surgiu em 1992 e tiveram um conjunto de medidas destinadas à estabilização dos preços, todas previamente anunciadas e executadas gradualmente. Duas ações fundamentais forem realizadas, a criação de uma nova moeda, o Real, e a apreciação da moeda.


7) Sim conseguiu com as medidas segurar a inflação e em meados de 1997 atingia próximo dos 6%.8) O índice usado e o IPC (índice de preços ao consumidor).


9) A valorização cambial amarrou à dinâmica dos preços internos frente à economia internacional. Em 1995, foi implantado o sistema de bandas cambiais que durou ate 1999. O real se fortalecia com a entrada de fluxos de capital que contribuía para conter a inflação no inicio. O resultado foi que a inflação inercial foisendo gradualmente suprimida.


10) As medidas são: Lei da concorrência, modernização da sua infra-estrutura com um conjunto regulatório e a privatização de empresas publicas, reformas no setor público e gestão da divida pública.


11) O crescimento econômico do país em 1993 foi de 4,7%, em 1994 foi de 5,3% e em 1995 foi de 4,4%.


12) sim o IED em 1995 foi de US$ 2,1bilhões, 1996 foi de US$ 4,4 bilhões, 1997 foi de US$ 10,7 bilhões ate em 2000 que foi de US$ 32,8 bilhões.


13) A primeira crise enfrentada pelo Brasil foi a crise mexicana em 1994, os Tesobonos foram emitidos pelo México para apoiar a sua moeda em meio à agonia do regime de cambio.


14) A permanência da moeda sobre valorizada limitou as perspectivas de crescimento, o realforte inverteu a situação que vinha, em que as empresas sediadas no Brasil eram fortemente protegidas pelo cambio e por barreiras diversas. A balança comercial entrou rapidamente em déficit crescente.


15) O crescimento foi de 2,2% em 1996.


16) Sim a Crise asiática em 1997, a crise russa em 1998, mesmo assim não houve um impacto no país que demonstrou crescimento médio de 4,1%até 1997.


17) A economia brasileira passou por uma crise em 1999, com a desvalorização do real, aumento da taxa de desemprego, queda do crescimento do país são alguns fatores dessa crise.


18) No inicio de 1999, com a mudança do regime cambial houve um forte crescimento nas exportações.


19) Na área fiscal, superávit primário; na área cambial, cambio flutuante; na áreamonetária, metas para inflação.


20) Sim provocou uma preocupação, mas as propostas do candidato logo cederam lugar ao realismo da nova administração, que não somente manteve os pilares da política anterior como aprofundou alguns pontos.


21) Sim uma crise mundial, apesar da crise, o cenário e de crescimento, mesmo que a uma taxa menor, que alguns acreditam ser próximo de...
tracking img