Economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3516 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Título : ESCOLAS PRECURSORAS DA ECONOMIA

Antiguidade
Grécia antiga: primeiras considerações de ordem econômica
Aristóteles (384-332 a.C.) – termo economia – (oikonomía) – estudos sobre aspectos de adm. privada e sobre finanças públicas
Platão (427-347 a.C.) e Xenofonte (440-335 a.C.)
Roma não deixou nenhum escrito notável na área de Economia. Questões referentes a justiça e moral (lei dausura, a moralidade em relação a juros altos e o que deveria ser um lucro justo são os exemplos mais conhecidos)
 
Mercantilismo
 
A partir do século XVI observa-se o nascimento da primeira escola econômica: o mercantilismo.
Praticamente os precursores do estudo econômico sistematizado. Preocupações sobre a acumulação de riquezas, comércio exterior e sobre a moeda.
Expoentes: William Petty eCantillon
 
Fisiocracia (“regras da natureza”)
 
Apogeu entre 1760 e 1770 (séc XVIII). Os fisiocratas preocuparam-se com a questão da repartição do produto entre setores da atividade e enfatizaram as leis naturais do universo que condicionariam as relações econômicas.
Expoentes: François Quesnay (médico francês), provavelmente o principal responsável pelo uso em Economia de termos comofluxos, órgãos e circulação. Associaram conceitos da Medicina à Economia.Tableau Économique (Quesnay) – Wassily Leontief aperfeiçou e transformou em sistema I/O. entrada e saída
 
Clássicos
 
Predominaram entre o final do século XVIII e início do século XIX, consolidando a Economia como corpo científico próprio. Lançaram as bases do liberalismo econômico (Laissez-faire), em que prevalecem as forçasde mercado, sem intervenção governamental (Estado na economia: proteção da sociedade - Smith) .
Expoentes: Adam Smith, David Ricardo, John Stuart Mill, Jean-Baptiste Say, Thomas Malthus.
Destaques:
Smith (1723-1790): A riqueza das nações (1776); livre concorrência “mão invisível”; liberalismo econômico; teoria do valor-trabalho (produtividade decorre da divisão do trabalho).
Ricardo(1772-1823): Teoria das vantagens comparativas (teoria do CI)
Mill (1806-1873): sintetizador do pensamento clássico – início do neoclássico
Say (1768-1832) : Lei de Say: “a oferta cria sua própria procura”, ou seja, o aumento da produção transformar-se em renda dos trabalhadores e empresários, que seria gasta na compra de outras mercadorias e serviços.
Malthus(1766-1834): males da sociedade residia noexcesso populacional “População cresce em PG e a produção em PA”
 
Neoclássicos
 
Escola que se desenvolveu a partir da metade do século XIX e início do século XX. Principal preocupação era com a alocação ótima de recursos (formalização analítica em Economia pelo uso da matemática). Teoria do valor-utilidade (o preço dos bens é formado a partir do grau de satisfação que o consumidor espera obterdo bem). Contraposição à teria do valor-trabalho (bens seria derivado do lado da oferta, ou dos custos da mão-de-obra).
Expoentes: Alfred Marshall, Leon Walras, Vilfredo Pareto, Joseph Schumpeter e Francis Edgeworth
 
Keynesianos
 
Revolução keynesiana: Publicação da Teoria geral do emprego, dos juros e da moeda, de John Maynard Keynes (1883-1946), em 1936. Depressão dos anos 30
Princípioda demanda efetiva: Princípio criado por Keynes e pelo polonês Michal Kalecki “a demanda agregada é que determina as variações do produto e da renda a curto prazo”. Inverte a lei de Say – fim da crença no laissez-faire (intervenção do estado na economia)
Monetaristas: corrente econômica que enfatiza o papel da política monetária, que seria menos intervencionista do que a política fiscal (MiltonFriedman) “Liberais”
Fiscalistas: corrente que defende a atuação ativa do Estado, por meio de política econômica. Também chamados de keynesianos. Expoentes: James Tobin e Paul Anthony Samuelson.
 
Pós-Keynesianos
 
Corrente que promoveu uma releitura da obra de Keynes, procurando demonstrar que esse autor não desprezou o papel da moeda no sistema econômico. Enfatizam o papel da especulação...
tracking img