Economia solidaria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2048 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO
O que é economia solidária.
É uma economia formada por empresas onde os trabalhadores são capitalistas e os capitalistas
são os trabalhadores. Não há separação entre a propriedade e o trabalho. Todos que trabalham
na empresa são donos da empresa por igual. Cada um tem a mesma parte do capital e,
portanto, os mesmos direitos de decisão. Pratica-se a autogestão, que é aadministração da
empresa por todos que trabalham nela democraticamente. Não sabemos exatamente onde a
economia solidária começou, mas na Europa, com certeza, no fim do século 18, com a
primeira revolução industrial. Na Inglaterra ela tomou forma mais nítida a partir do século 19.
Houve muitas tentativas, centenas de cooperativas formadas por trabalhadores
desempregados, que tinham perdido seutrabalho em função da revolução industrial. Mas a
partir da segunda metade do século 19 esse tipo de economia tomou a forma de cooperativas,
se difundiu no mundo inteiro, e hoje a Aliança Cooperativa Internacional tem como
associados, através das cooperativas que são parte dela, 600 milhões de pessoas no mundo
inteiro. Isso é mais ou menos 10% da população mundial.
Um dos principaisprincípios da economia solidária é como um outro modo de produzir, cujos
princípios básicos são a propriedade coletiva ou associada do capital e o direito à liberdade
individual. Em seu entender, a aplicação desses princípios une todos os que produzem numa
única classe de trabalhadores na qual todos igualitariamente são possuidores do capital através
do trabalho cooperativo, associativo ousociedade econômica.
Hoje, no Brasil, o trabalho associativo é a base para a construção de uma economia solidária.
Acredita-se que a experiência associativa vá contribuir para superar as atuais fragilidades
destes empreendimentos.
Paul Singer - A grande arma para a superação das fragilidades é a ajuda mútua entre
associações, cooperativas e agências de fomento. Há um visível fortalecimento daeconomia
solidária no país e a Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES), do Ministério do
Trabalho e Emprego, cuja missão é formular e implementar políticas públicas para difusão e
fortalecimento da economia solidária foi mais um passo nesta caminhada.

o PROBLEMA.
Antes de falarmos sobre o problema do desemprego vamos explicar o que é, e como podemos
calcular a taxa dedesemprego.
o que é o desemprego.
Entende-se por desemprego a condição ou situação das pessoas incluídas na faixa das "idades
ativas" (em geral entre 14 e 65 anos), que estejam, por determinado prazo, sem realizar
trabalho em qualquer tipo de atividade econômica.
O Desemprego, devido a suas conseqüências sociais e seus efeitos que podem incidir sobre
grupos sociais muito definidos(jovens sem experiência de trabalho, mulheres e pessoas acima
de 45 anos), é especialmente grave, e a maioria dos governos deve dedicar grandes
quantidades de dinheiro para remediar suas conseqüências.
Taxa de desemprego: A porcentagem de pessoas desocupadas em relação ao total da
população ativa (os ocupados mais os desempregados) é conhecida como taxa de desemprego.
Taxa de desemprego =Desempregados x 100
População ativa total
A desocupação de uma percentagem de três por cento da força de trabalho é considerada nos
países capitalistas como desemprego mínimo ou normal e só acima desse índice é que se fala
em desemprego. Há quem considere essa quota como necessária ao desenvolvimento da
indústria. Os defensores dessa tese afirmam que uma certa porcentagem de desemprego ésalutar à economia, por constituir uma reserva de mão-de-obra para a expansão industrial.

o Problema.
o desemprego não é um problema individual. É um problema social, que atinge a amplas
camadas da população independente de sua condição, que ao contrário querem trabalhar, mas
não conseguem emprego. Mesmo utilizando as estatísticas mais conservadoras projetadas pelo
IBGE, revelam de...
tracking img