Economia política - karl marx - manuscritos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1615 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

O Autor: Karl Heinrich Marx, Economista, filósofo e socialista alemão de origem judaica e de classe média, nasceu em Trier em 5 de Maio de 1818 e morreu em Londres a 14 de Março de 1883. Estudou na universidade de Berlim, principalmente a filosofia hegeliana, e formou-se em Iena, em 1841, com a tese Sobre as diferenças da filosofia da natureza de Demócrito e de Epicuro.

Omanuscrito: Manuscritos Econômico-Filosóficos, de Karl Marx, escritos em paris em 1844, são anotações de estudos do jovem Marx.

O Trabalho: Este trabalho se trata da critica de Karl Marx ao capitalismo de produção e a economia política do século XIX, Marx faz sua critica tendo como conceitos principais a “alienação” do homem em suas diversas etapas e o “trabalho” alienado do próprio homem.

Aintrodução:

O trabalho Alienado

Demos início aos pressupostos da economia política. Acolhemos a sua terminologia e as suas leis. Analisamos a propriedade privada, a separação entre o trabalho, o capital e a terra, assim como também os salários, o lucro do capital e a renda, e ainda observamos a divisão do trabalho, a concorrência, o conceito de valor de troca, etc. A partir da própria economiapolítica, em suas próprias palavras, expôs que o trabalhador desce até ao nível mercadoria, e de miserabilíssima mercadoria; que a penúria do trabalhador aumenta com o poder e o volume da sua produção; que o resultado necessário da concorrência é a acumulação do capital em poucas mãos e, conseqüentemente, um terrível restabelecimento do monopólio: e finalmente, que a diferenciação entrecapitalista e proprietário agrário, bem como entre trabalhador rural e trabalhador industrial, deixa de existir, e toda a sociedade se deve dividir em duas classes, os possuidores de propriedade e os trabalhadores sem propriedade.

A economia política tem seu inicio através da propriedade privada, os únicos motivos que colocam a economia política em movimento e a avareza e a guerra entre os avarentos, ouseja, competição de capitalista. Marx critica a economia política de então esconder a verdadeira relação entre o empregado e o empregador. O Estado submete os trabalhadores a seus próprios interesses. 

A alienação para Marx ocorre na relação do trabalhador com o produto de seus trabalhos, na própria atividade produtiva. Ou seja, o trabalho não pertence à natureza do trabalhador, mas sim écondição para que esse sobreviva minimamente, sendo obrigado a se adequar às condições de trabalho imposta a ele pelo capitalista. Por esse fato, ele apenas se esgota, e não se realiza na plenitude de suas capacidades mentais e físicas. Como afirma Marx, o trabalho “não constitui a satisfação de uma necessidade, mas apenas um meio de satisfazer outras necessidades”. Estas outras necessidadesgeralmente se reduzem a prioridades mínimas, como alimentação, moradia. O meio para satisfazê-las é o dinheiro, um valor que não existe naturalmente, mas é abstraído e convencionado. O trabalhador vendeu seu tempo, seu sentimento, sua força, suas aspirações pelo dinheiro, e na posse de algum, pode trocá-lo por qualquer tipo de mercadoria, inclusive pelas que ajudou a produzir. Este trabalho alienado é umprocesso de mortificação, em que  homem exerce uma atividade cansativa que não condiz com sua aspiração de indivíduo opinante, de cidadão livre, ou mesmo de animal, que tem emoções, orgulho, instinto, prioridades físicas. Marx afirma que o trabalhador só consegue ser livre nas funções animais, como beber, procriar, comer, mas nas atividades humanas se vê reduzido a animal. Mas estas funções animaisprimárias estão implicadas com o sistema social a ponto de perderem seu sentido original.

Os vários tipos de alienação segundo Marx:

A alienação no trabalho: alienação do produto (despojo) ao transformar-se o objeto em produto e introduzir-se no mercado, escapa do controle do trabalhador.

A alienação do trabalho: A alienação do ato de trabalho O trabalho na sociedade capitalista não é...
tracking img