Economia no nordeste do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (511 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Isoeste, Schioppa, Grupo Bertin, EBSE, Rexam, Lanxess, Coca-Cola. O que essas empresas têm em comum? Todas anunciaram a instalação de novas fábricas ou aumento de capacidade produtiva em Pernambuconos últimos três meses. E todas, independentemente do ramo em que atuam, estão de olho não apenas no potencial do mercado pernambucano. Elas enxergam mais longe. Querem pegar uma carona na novalocomotiva do desenvolvimento do país: o Nordeste, região que vem apresentando um crescimento médio acima do brasileiro. O comércio anda aquecido. A indústria superou mais rapidamente a crise. O Nordeste,enfim, virou a bola da vez.

O dinamismo econômico da região pode ser traduzido em números que vão da produção ao consumo. Menos dependente das exportações e mais focada no mercado interno, a produçãoindustrial nordestina caiu apenas 4,89% em 2009, enquanto que no Brasil a queda foi de 7,39%. "A queda não foi maior justamente por causa dos setores focados no consumo interno, que estão na baseindustrial do Nordeste. O de bebidas cresceu 7,1% e o de alimentos recuou apenas 1,7%", comenta o gerente da Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), AndréMacedo.

Se a indústria nordestina caiu apenas 4,89% em um cenário de crise internacional, é porque a demanda interna está mais aquecida do que no restante do país. O volume de vendas no varejo mostraexatamente isso. Enquanto que no Brasil esse índice evoluiu 6,9% em 2009, chegando a 7,4% no Sudeste, considerada a região mais rica do país, no Nordeste subiu 8,1%, considerando o varejo tradicionalmais as categorias automóveis, motos e peças e material de construção.

Segundo o gerente da Pesquisa Mensal de Comércio do IBGE, Reinaldo Pereira, as atividades de hiper e supermercado têm umgrande peso no varejo nordestino e têm puxado os resultados da região. "É claro que outros agregados macroeconômicos, como a redução do IPI para automóveis, linha branca e material de construção também...
tracking img