Economia do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1456 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Antes de se modernizar, de se tornar capitalista, o que era o Brasil?

* Qual o modo de produção?
* Qual a formação econômico-social?

É importante definir isso para entender a contemporaneidade.

Caso brasileiro tem elementos inéditos:
* Nosso modo de produção não surge endogenamente: é posto e gerado a partir do capitalismo em nível mundial (daformação do mercado mundial).

Pensar a sociedade colonial brasileira implica pensar o capitalismo mundial na época do descobrimento e da colonização.

Descobrimento: Primeiro movimento de globalização:
“A descoberta da América, a circunavegação da África ofereceram à burguesia ascendente um novo campo de ação. Os mercadosda Índia e da China, a colonização da América, o comércio colonial, o incremento dos meios de troca e, em geral, das mercadorias imprimiram um impulso, desconhecido até então, ao comércio, à indústria, à navegação e, por conseguinte, desenvolveram rapidamente o elemento revolucionário da sociedade feudal em decomposição.”
MARX, Karl e ENGELS, Friedrich, Manifesto do Partido Comunista - 1848* Portugal e Espanha eram feudais e não capitalistas, mas com forte burguesia mercantil.

Colônia de exploração, mas a produção dos índios locais era de subsistência, isto é, não havia excedente para ser comercializado. (≠ de colônia de povoamento: uso da terra como morada e subsistência).
* Por isso, a necessidade de criar um novo modo de produção.
*Celso Furtado: burguesia portuguesa era sobretudo mercantil e não bancária-financeira, o capital que será utilizado para a criação das plantations foi emprestado, essencialmente, pela burguesia financeira holandesa.

O que explica a intenção dos holandeses de dispensar a mediação portuguesa e ocupar Pernambuco e Bahia

Elementos para a construção deste modode produção:
* O capitalismo é ainda mercantil (não industrial): quer trocar produtos criados pela colônia.
Como o Brasil pré-cabraliano não produz excedentes, é preciso criar um modo de produção.
* Precoce formação do Estado nacional português (luta contra os mouros favorece revolução que põe no poder a casa de Aviz: 1380).
Por isso, a burguesia mercantil tinha importância napolítica do novo monarca: mas o regime é absolutista e as relações agrárias internas são feudais.

(feudalismo: pressupõe a existência de uma população camponesa ligada à terra)
* Assim, embora a descoberta e a colonização sejam empreendimentos da burguesia mercantil, transportam-se para o Brasil, no nível da superestrutura jurídico-política, os institutos feudais: capitanias hereditárias,sesmarias, etc.
* Coroa portuguesa é parasitária: vive de impostos. Como a Igreja e nobres não pagavam impostos, a Coroa se interessa por atividades mercantis porque daí auferia impostos. Por isso, a aliança com a burguesia mercantil e interesse comum no empreendimento colonial.

Sistema de plantation:
* Necessidade de criar uma estrutura econômica que produza excedentes.
(EXCEDENTE:aquilo que foi produzido além do necessário à sobrevivência. É ele quem possibilita as diferentes formas de expropriação do trabalho. É utilizado para atender os interesses daqueles que dele se apropria.)

Produção de bens tropicais para o mercado mundial.
Plantation: é
aestrutura econômica que determina o modo de produção:
* Propriedade tem que ser grande (só pode funcionar com escala de produção ampliada, porque implica grandes capitais) e é monocultura (açúcar, ouro e café).
* Mão-de-obra tem que ser abundante: escravidão negra.
(a escravidão índia era problemática por questões culturais e militares)
A escravidão negra interessa à burguesia comercial...
tracking img