Ecologia atmosfera

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4995 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A Atmosfera Terrestre.
A constituição da atmosfera é algo “sui generis”: partículas sólidas, massas líquidas e elementos gasosos misturam-se na atmosfera, conferindo-lhe características peculiares. Somente em circunstâncias especiais os gases combinam entre si, como ocorre nas reações fotoquímicas; de resto, comportam-se como simples misturas mecânicas. Os gases rarefeitos de altasatmosferas, sujeitos a altas temperaturas, caracterizam outro estado de matéria – o plasma, concentrando quantidades extraordinárias de energia – verdadeiro desafio para os físicos que se dedicam ao estudo desse assunto.
As características físicas das atmosferas são tão complexas que certamente o homem jamais conseguirá simulá-la fielmente em laboratório. Mesmo dispondo de razoável acervocientífico acerca dos fenômenos atmosféricos e de uma tecnologia bastante sofisticada – satélites meteorológicos, computadores e telecomunicações –, os cientistas não conseguem ainda equacionar, desejavelmente, os mecanismos de funcionamento da atmosfera. As condições de contorno a que se acha submetida à atmosfera são, por si só, um grande desafio. As características diversificadas da crosta daterra – superfícies líquidas de temperatura variadas, blocos continentais com topografia e vegetação variadas etc. – são situações físicas que variam no espaço e no tempo, impedindo uma formula matemática rigorosa. O contorno exterior, de limites, de fenômenos e de trocas de propriedades pouco conhecidas, torna ainda mais complexo o fechamento de um modelo físico-matemático. Os próprioscomputadores não estão muito aquém das necessidades meteorológicas, obrigando os pesquisadores a simplificar as equações diferencias que regem o comportamento da atmosfera.
A enorme variação das escalas espaciais e temporais dos fenômenos meteorológicos – desde segundos até milhares de anos de duração; desde centímetros até dezenas de quilômetros de escala espacial – complica ainda mais osestudos meteorológicos. Outra grande dificuldade na modelagem na composição atmosférica refere-se à composição do ar atmosférico: a presença de todos estados da matéria, as mudanças de fase, as reações químicas e fotoquímicas, as trocas de propriedades, os diferentes regimes de escoamentos – do laminar ao turbulento, da brisa suave aos furacões e tornados – tudo isso deve ser considerado nosestudos diagnósticos e prognósticos da atmosfera.

Composição Química da Atmosfera.
Sendo sua massa 1.000.000 de vesses menor que a massa da parte sólida da terra. Sua densidade, mesmo ao nível do mar, onde é mais elevada, é menor de que um milésimo da densidade das rochas. Certamente a composição da atmosfera tem variado desde a sua origem, embora isso não seja fácil de comprovar. Olançamento de gases na atmosfera pelos vulcões, ao longo do tempo geológico, fornecem subsídios que sustentam sua variabilidade.
Atualmente, a maior parte da massa atmosférica é constituída de um reduzido número de elementos, embora exista embora exista um grande número de constituintes ocupado relativamente um diminuto volume. Existe, na atmosfera, um grupo de gases com concentração aproximadamenteconstantes (até cerca de 90 km de altitude). São os chamados “gases permanentes” ou “não variáveis”. Os demais, que não apresentam concentração fixa, são denominados gases “variáveis”. A tabela 1 mostra os mais importantes gases “não variáveis” e a tabela 2, os “variáveis”.
Tabela 1 – Constituintes “não variáveis” do Ar Atmosférico (FLEAGLE e BUSINGER, 1980)
ConstituintesConteúdo ( % por volume ) |
Nitrogênio – N2 78,084 Oxigênio – O2 20,948 Argônio – Ar 0,934 Neônio – Ne...
tracking img