Ecaeco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5501 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
MOTIVAÇÕES PARA INVESTIMENTOS DIRETO EXTERNO (IDE) NO SETOR SUCROENERGÉTICO DE MATO GROSSO DO SUL
MOISÉS CENTENARO
Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS
Doutorando em Administração – UNISINOS/FUNDECT-MS
Email: m.centenaro@uems.br
RESUMO:
A era da globalização é representada pela busca de mercados consumidores e fornecedores em escala global, tendo como objetivo o crescimento eexpansão empresarial através da busca de oportunidades mais lucrativas em novos mercados e produtos. A internacionalização do setor sucroenergético tornou-se uma realidade. Empresas de diversos países tem se interessado pelo setor, mesmo sem ter conhecimento prévio, compram usinas e aprendem com as tecnologias brasileiras. O Brasil é pioneiro no desenvolvimento de tecnologia na produção de açúcar,etanol e na cogeração de energia elétrica. O objetivo deste estudo é identificar as principais motivações para os investimentos externos diretos (IDE) realizados por grupos multinacionais no setor sucroenergético de Mato Grosso do Sul (MS). Para isso, analisou-se o processo de internacionalização de usinas e suas implicações econômicas, de inovações e desenvolvimento das agroindústrias no Estado.A metodologia utilizada foi qualitativa (multicasos), analisando o caso de três usinas sucroenergética com participação societária superior a 50% de capital internacional e com entrada no Brasil via IDE. Foram entrevistados diretores e gerentes industriais, através de um roteiro de questões semiestruturada. Foram utilizados dados secundários disponibilizados por órgãos representativos do setor eórgãos oficiais, dados agropecuários e industriais. Como resultado da pesquisa identificou-se as principais motivações para o IDE no MS, tais como: custo das terras e grande disponibilidade de áreas, produtividades superior à outras regiões com tradição da cana no país, relevo e solo propícios para o cultivo e mecanização, localização próxima aos grandes centros consumidores (São Paulo e Paraná),e relativamente próximo a dois importantes portos (Santos-SP e Paranaguá-PR).

Palavras-chaves: Agronegócio, Indústria Sucroenergética, Investimento Externo Direto
INTRODUÇÃO
Nestas duas últimas décadas, o sistema capitalista mundial foi marcado por um conjunto de transformações nas esferas comercial, produtiva, tecnológica e financeira que configuram o processo de globalização que pode sercaracterizado como um fenômeno de aceleração do processo de internacionalização de empresas.
Na economia global, destaca-se cada vez mais, a proximidade regional e as vantagens competitivas, consideradas fatores importantes na definição dos padrões da competitividade internacional entre empresas e de eficiência econômica das regiões. Portanto, a globalização não representa uma depreciação oueliminação das especificidades locais e regionais, ao contrário, permite valorizá-las de modo que a geografia da nova economia mundial esteja centrada no papel das regiões e na competitividade internacional.
O processo de internacionalização é caracterizado como o meio pelo qual a empresa deixa de operar nos limites do mercado nacional de origem e passa a explorar mercados estrangeiros de diferentesmodos de atuação, desde exportação indireta e direta até operações no estrangeiro mais complexas, e com maior grau de comprometimento de recursos, como a instalação de subsidiárias no país da sua expansão (HITT; IRELAND; HOSKISSON, 2002).
As razões para as empresas se internacionalizarem são diversas, tais como: aquisição de novas tecnologias, necessidade de estar próximo aos clientes, superarbarreiras protecionistas, anteciparem-se às práticas da concorrência, ter acesso a linhas de crédito para poder captar recursos financeiros dentre outras.
Neste sentido, o Investimento Direto Externo (IDE), satisfaz o desejo de controle do investidor por três razões básicas: a segurança do investimento e bom uso dos ativos; a eliminação da concorrência e a apropriação do retorno do investimento...
tracking img