Drogas leves

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3932 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
|[pic] |Escola Secundária Gabriel Pereira - Évora |
| |Escola Pluricurricular (400210) |
| ||
| |STC EFA – NS |


(UC 7) – SOCIEDADE,TECNOLOGIA E CIÊNCIA - FUNDAMENTOS




|CONTEXTO INSTITUCIONAL (DR3)|TEMA: Ciência e Controvérsias Públicas |

|Intervir racional e criticamente em questões públicas com base em conhecimentos científicos e tecnológicos. |

| | |Avaliação Formativa: ||NOME:____________________________________ |DATA (início): ___ / ___ / ___ |Versão Final: |
| | | |
| |DATA (fim): ____ / ____ / ____ ||







FICHA DE TRABALHO Nº 2



LIBERALIZAÇÃO DAS DROGAS
Nas últimas décadas a “droga” tem vindo a difundir-se nas sociedades contemporâneas com um enorme cortejo de prejuízos sociais e individuais. O negócio da “droga” tornou-se num dos mais rentáveis domínios da actividade económica, mobilizando grandes interesses internacionais,tanto ao nível da produção como da comercialização.
O alastramento internacional do fenómeno provocou por todo o mundo uma onda de preocupações e esforços no sentido de refrear quer o tráfico quer o consumo de “droga”, empenhando-se particularmente os governos nesse combate.
As Nações Unidas firmaram uma convenção contra o tráfico ilícito de estupefacientes e substâncias psicotrópicas,em 1988, o mesmo fazendo o Conselho da Europa em Novembro de 1991, visando o tráfico da droga. Apesar desta multiplicidade de esforços, alguns dos quais nem sempre sinceros e consequentes, a “droga” não desapareceu das sociedades, antes continua a constituir um dos maiores flagelos sociais do nosso tempo. Em Portugal, o fenómeno conheceu, tal como no resto do Mundo, um preocupantedesenvolvimento, desde os primeiros anos de 70, atingindo expressões por vezes dramáticas, mobilizando-se por isso energias e recursos para o combater, tanto ao nível do tráfico ilegal e clandestino, como ao nível do consumo proibido e punido por lei.
Nos últimos tempos, têm começado a surgir na sociedade portuguesa, tal como aliás noutros países, opiniões que põem em causa a eficácia e o mérito dasestratégias adoptadas para debelar o fenómeno, eesboçam, alternativamente, a defesa de uma mudança de atitudes e medidas legais, para minorar os efeitos perversos da difusão da “droga”. Entre elas, algumas vozes chegam mesmo a preconizar a liberalização do tráfico e do consumo da “droga”, como forma de melhor controlar o fenómeno nas suas manifestações, e melhor o atacar nas suas causas e efeitosnocivos.



1. O PROBLEMA DA “DROGA” NA SOCIEDADE PORTUGUESA
a) Elevada dimensão do tráfico e do consumo
Apesar dos esforços que quer o Estado quer a sociedade têm vindo a desenvolver para combater a difusão da “droga”, também em Portugal o fenómeno tem continuado a constituir uma grave questão social, em desenvolvimento crescente nas últimas décadas, afectando particularmente a...
tracking img