Drenagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1687 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
| Universidade Federal do Rio de JaneiroEscola PolitécnicaDepartamento de Transportes - DET |

TRABALHO DE DRENAGEM

Alunos: Alexandre Lopes Fonseca
Alexandre Duarte
Bruno Alexandre Brandimarte Leal
Mieka Arao

Professor: Marcelo Miguez

Rio de Janeiro, 29 de janeiro de 2013

* Sumário
Sumário 1
1. Introdução 2
2. Memória Descritiva 2
3. Memória Justificativa 7
3.1.Bueiros de Fundo de Vale 7
3.2. Bueiros de Greide 7
3.3. Valetas de Proteção de Corte e Aterro 8
3.3.1. Valetas de Proteção de Corte 8
3.3.2. Valetas de Proteção de Aterro 8
3.4. Sarjetas e Banquetas 9
3.4.1. Sarjetas 9
3.4.2. Banquetas 9
3.5. Descidas d’água 10

Introdução
O projeto de drenagem superficial a ser elaborado é referente ao trecho de estrada de rodagem deClasse III DNER, em uma região montanhosa, situado entre o ponto A (estaca 798) e B (estaca 863+4,47m).
Este projeto contempla uma memória descritiva, onde serão apresentadas as soluções para drenagem transversal e longitudinal, bem como suas localizações, características e extensões, e uma memória justificativa, onde são expostas as razões que levaram a tal arranjo final.
Em anexo se encontram oprojeto em planta e em perfil, assim como as seções transversais a cada estaca inteira, inicio e fim do trecho, início e fim da ponte, pontos de passagem e seções dos dispositivos transversais.

Memória Descritiva
A realização do presente projeto de drenagem superficial foi baseada nas recomendações do manual do DNIT - Manual de Drenagem de Rodovias. Complementarmente, foi necessárioestabelecer certas premissas de projeto, uma vez que os dados hidrológicos necessários ao dimensionamento dos dispositivos de drenagem não foram disponibilizados.
De modo a tornar o dimensionamento viável, foi determinado que a distância máxima entre descargas das valetas, sarjetas e banquetas será de 150m.
As dimensões dos dispositivos de drenagem transversal foram definidas como 1,2m de diâmetro paraos bueiros de fundo de vale e 0,8m de diâmetro para os bueiros de greide. O cobrimento mínimo a ser adotado será de 1,5 vezes o diâmetro da tubulação.
Foi proposto um arranjo dos dispositivos transversais e longitudinais a fim de captar, conduzir e eliminar a água que atingiria o corpo estradal de forma a não afetar a segurança e durabilidade da via. Nas tabelas a seguir são apresentadas ascaracterísticas de tais dispositivos, extensão, localização e a integração entre eles.
É importante estabelecer que as referências feitas ao lado esquerdo e direito são em relação ao sentido do estaqueamento e a estaca final do dispositivo é aquela onde ocorre a descarga.

Tabela 1 – Sarjetas

Tabela 2 – Banquetas

Tabela 3 – Valetas de Proteção de Corte

Tabela 4 - Valetas de Proteção deAterro

Tabela 5 – Bueiro de Greide Longitudinais

Tabela 6 – Bueiros de Fundo de Vale e Bueiro de Greide

Tabela 7 – Descidas D’água

Memória Justificativa
Bueiros de Fundo de Vale
Para que fosse possível estabelecer o sentido do escoamento da água no terreno natural foram definidas sub-bacias naturais. O trecho localizado entre duas cumeadas define uma sub-bacia.
Cada sub-bacia possui umtalvegue entre as cumeadas que a define. A água que venha a passar por esse talvegue deve ser transposta através da pista sem comprometer a estrutura.
Quando a pista é interceptada por um talvegue em uma seção em aterro pleno, um bueiro de fundo de vale é posicionado seguindo a direção do talvegue. Essa situação ocorre nas estacas 805+15,58, 808+14,92, 821+5,40, 827+3,77, 848+3,50, onde foramposicionados respectivamente os BFV1, BFV2, BFV3, BFV4 e BFV5.

Bueiros de Greide
Os bueiros de greide conduzem as águas provenientes dos dispositivos de drenagem superficial para locais seguros.
Nas seções em corte pleno em que o talvegue intercepta a estrada, foi necessária a colocação de bueiros de greide. Nessa situação, eles recebem através das descidas d’água e caixas coletoras as águas...
tracking img