Dor em pacientes oncológicos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1539 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DOR EM PACIENTES ONCOLÓGICOS

A dor em câncer pode ser causada pela doença, a ela relacionada, resultante de procedimentos diagnósticos e de tratamento, ou ainda causada por um transtorno concorrente. A prevalência de dor crônica é de 30% a 50% nos pacientes em tratamento oncológico para tumores sólidos, subindo para 70% a 90% naqueles com doença avançada no momento do diagnóstico.
Aexperiência de dor crônica é estressante tanto para o paciente quanto para seus familiares, amigos, cuidadores e também para a equipe que o trata.

O conceito de dor total foi cunhado em 1964 por Cicely Saunders38 para
mostrar que a dor em câncer era física, emocional, social e espiritual, sendo posteriormente acrescentadas a dor interpessoal, a familiar e a financeira.

De acordo com o InstitutoNacional de Câncer muito pacientes com câncer avançado sofrem de mais de um tipo de dor e o tratamento adequado vai depender da identificação de sua origem.A dor pode ser completamente aliviada em 80% a 90% dos pacientes e um nível aceitável de alívio pode ser alcançado na maioria dos restantes.
O Instituto Nacional de Câncer preconiza que o adequado preparo de toda a equipe é estratégia fundamentalpara o controle da dor e sintomas prevalentes em pacientes com câncer avançado sob cuidados paliativos.Qualquer ação deve fazer parte de um processo decisório bem definido e discutido na equipe, não com a intenção de uniformidade, contudo, para que os fluxos sejam determinados para a possibilidade de intervenção igualitária. O que um paciente receberá como oferta analgésica de um serviço, não podedepender do conhecimento, crenças ou habilidades de quem institui os cuidados. Deve ser compreendido e, implementado no todo e em uma só direção.
O processo decisório se inicia com a unificação dos conhecimentos atualizados das equipes. As decisões são precedidas pela avaliação da dor, e preferencialmente pela escolha de intervenções múltiplas para a garantia de maior êxito. Intervençõesmedicamentosas e não farmacológicas associadas. Para isso, além de conhecimentos uniformes, a padronização de drogas, termos e métodos devem ser institucionalizados.
A escolha de agentes farmacológicos, titulação, prescrição regular, doses de resgate são a seqüência lógica e necessária.
Mas, sendo esse um processo necessariamente contínuo, a mais importante decisão em analgesia é a reavaliação contínua.O planejamento destas reavaliações deve ser sistematizado e calculado considerando-se a alternância previsível dos sintomas, que em Cuidados Paliativos se dá muito rapidamente e não raro, intensamente.
A observação contínua e atenta às respostas, novas queixas e aos detalhes
é que garantem o controle do processo analgésico. Avaliações de doses e efeitos no intervalo conhecido para a respostada intervenção instituída, permite ajustes de doses, associação de agentes e adequação das doses de resgate e o controle analgésico.
Este controle permite, por sua vez, a decisão segura pelo reinício do
processo sempre que necessário, através da troca de gentes, seguindo o
rodízio de opiáceos preconizado nas literaturas e, novas prescrições regulares
completas e ou considerações deencaminhamento para procedimentos
invasivos ou análises de refratariedade e intervenções mais radicais.

Miceli ;2001 relata que Segundo a OMS, é possível controlar a dor em cerca de 90% dos pacientes oncológicos, mas na maioria das unidades de saúde falta conhecimento, habilidade e até interesse no manejo da dor e muitas vezes os esforços daqueles que empenham-se no tratamento adequado esbarram nospreconceitos de seus colegas e da população em geral, e em questões de cunho político, econômico e social.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer a prevalência de dor aumenta com a progressão da doença. Dor moderada ou intensa ocorrem em 30% dos pacientes com câncer recebendo tratamento e em 60% a 90% dos pacientes com câncer avançado.
CAUSAS DE DOR
A dor sentida pelo paciente pode ter...
tracking img