Doença de chagas cardiopatia chagasica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1230 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
2. OBJETIVO GERAL
Rever e avaliar os mecanismos de transmissão e a infectividade do protozoário quando não é feito um diagnóstico logo no inicio da doença onde ele pode infectar e acometer outros órgãos.

2.1 Objetivo específico
Estudar as principais características das Cardiopatias gerada na Doença de Chagas.

3. METODOLOGIAPesquisas de artigos científicos publicados nos sites, sciello, pub med, livros e publicações cientificas.
Palavras-chave: Doença de Chagas, Cardiopatia, Trypanosoma cruzi, diagnóstico, tratamento.

4. INTRODUÇÃO
Varias espécies de protozoários flagelados parasitam o homem, mas há um grupo que se destaca porque seus membros possuem, além das estruturas celulares habituais, umaorganela bastante singular, o cinetoplasto. Esta organela é formada por um segmento de sua longa mitocôndria onde se encontra abundante DNA do tipo e Kdna (REY, 1992).
O Trypanossoma cruzi é um parasita protozoário intracelular cinetoplastídio que causa a tripanossomíase americana ou doença de Chagas. A doença de Chagas ocorre raramente nos Estados Unidos e no México, porém é mais comum naAmérica do Sul, particularmente no Brasil (ROBBINS e COTRAN, 2005).
Trata-se de uma forma da doença, com conhecida apresentação em forma de micro epidemia, com casos graves e importante letalidade. No ano 2005, um surto registrado numa área turística do sul do Brasil concitou a atenção internacional como conseqüência de ter afetado a um grupo de turistas internacionais e de ter sido registradaalta morbidade e mortalidade (PANAFTOSA, 2006).
Boa parte da história de misérias e sofrimentos relacionados ao mal de Chagas pode ser associada à perpetuação da transmissão vetorial, responsável pela maior parte do contingente de infectados por T. cruzi do planeta. De fato, díspares investigações demonstraram a existência de uma correlação direta entre a densidade doméstica de triatomíneosinfectados e o número de casos agudos, especialmente nas crianças. Assim, as ações de controle desenvolvidas ao longo do século XX especialmente aquelas dirigidas à redução da transmissão por vetores têm permitido uma transição epidemiológica ao menos em determinadas regiões do continente, sendo observada forte tendência à queda do número de casos em alguns países como Argentina, Brasil (país querecebeu, recentemente, o Certificado Internacional de Eliminação da Transmissão da Doença de Chagas pelo Triatoma infestans) Chile, Uruguai e Venezuela, ainda que outros como Bolívia, Paraguai e Peru permaneçam com prevalências consideráveis, provavelmente pela implementação recente dos seus programas de controle (SIQUEIRA E PATRICIA, 2011).
O diagnóstico da infecção pelo Trypanosoma cruzi, agentecausal da doença de Chagas, como em outras enfermidades infecciosas, tem como base três parâmetros distintos: as manifestações clínicas, que, se presentes, permitem ao médico suspeitar da infecção; os antecedentes epidemiológicos, que também induzem o clínico a suspeita; e os métodos de diagnóstico, em geral laboratoriais, que permitem confirmar ou excluir a suspeita diagnóstica na maioria dassituações.
Na infecção pelo T. cruzi, lembramos que mais da metade dos infectados não apresenta cardiopatia, nem megaesôfago nem megacólon, as principais manifestações da doença de Chagas. Nestes casos em particular, o diagnóstico é sugerido pelos antecedentes epidemiológico e confirmado ou excluído pelos resultados dos exames laboratoriais.

™http.www.fiocruz.com.br



4.1 HISTÓRICOEsse protozoário e a doença foram descobertos e descritos pelo grande cientista Carlos Ribeiro Justiniano das Chagas. Recém formado em medicina, sua tese foi sobre controle de malária, interou desde logo a equipe de Oswaldo Cruz, tendo sido encarregado a chefiar os trabalhos de combate à malária em Minas Gerais, onde estava sendo construída a Estrada de Ferro Central do Brasil. Entre 1907 e...
tracking img