Documetos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1673 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha do filme “ Uma Lição de Amor”
O filme retrata a história de Sam Penn, uma pessoa adulto com deficiência mental, é o pai de Lucy, onde foi abandonado pela sua mãe assim que esta nasceu, Sam cria a filha com o apoio de colegas de trabalho, uma vizinha e amigos. Sam tem a inocência e a sinceridade de uma criança. O Serviço de Proteção à Infância, alegando que Sam não tem capacidade paracontinuar educando Lucy, agora com idade de 7 anos, consegue na Justiça a adoção dela por um casal sem filhos. Sam, defendido por uma advogada, luta para ter seu sua filha de volta.
O filme "Uma Lição de Amor" aborda claramente a luta entre dois paradigmas, a integração social e a inclusão social, mostrando cenas do dia-a-dia de uma comunidade, onde se trava o confronto entre pessoaspreconceituosas e pessoas sem preconceitos, entre a teoria da inteligência única e a teoria das múltiplas inteligências, entre a submissão ao poder e o empoderamento e onde vai ocorrendo a lenta mudança para a inclusão social. Sam mora com a filha em um apartamento comum, numa cidade da Califórnia. Ele leva uma vida normal junto à população geral. O filme começa com Sam trabalhando em um emprego apoiado, comoatendente, numa lanchonete comum. Uma vizinha de Sam simboliza a aceitação dele por parte dos moradores, que lhe oferecem dicas práticas para lidar com Lucy (fraldas, horários, comida, choro etc.) na vida comunitária. Enquanto algumas pessoas julgam Sam pela suposta incapacidade dele de atender aos moldes pré-estabelecidos pelas práticas tradicionais no que se refere ao papel de pai (modelomédico), outras pessoas demonstram sua mudança de atitude para com a realidade de Sam (modelo social).
A assistente social do Serviço de Proteção à Infância, o promotor de justiça e o júri raciocinam que Sam conseguiu criar Lucy desde o nascimento até ela atingir 7 anos de idade, "porque sua capacidade mental era de uma criança dessa idade", mas argumentam que ele não mais terá condições de continuareducando sua filha desta idade pra frente porque ela o superará cada vez mais do ponto de vista intelectual. Por outro lado, a própria Lucy simboliza o modelo social quando se adapta à realidade do seu pai. Lucy gosta muito do pai do jeito que ele é (modelo social) e se relaciona positivamente com ele. Para sua colega de escola, sou seja, de Lucy, “Conner”, que lhe pergunta por que o pai dela agecomo um deficiente mental, Lucy responde com toda a naturalidade e dignidade: "Porque ele tem deficiência mental". O dono da lanchonete, onde Sam trabalha, se adaptou (modelo social) ao jeito de ser bem franco que Sam demonstra ao relacionar-se com o público. Uma das atitudes preconceituosas mais comuns consiste em querermos ser condescendentes para com as pessoas com deficiência, levando em conta asua suposta incapacidade laborativa e conseqüente falta de poder aquisitivo. Mas isto não acontece com as pessoas envolvidas com Sam. O dono da lanchonete apóia Sam, não o liberando do serviço até o último minuto antes de a mulher de Sam dar à luz, ou prestando um depoimento justo a favor de Sam na audiência do fórum. O gerente, bem impressionado com a solidariedade dos amigos de Sam, diz: "Deusexiste" referindo-se à dignidade com que todos agiram neste incidente. A advogada de Sam, que no início não queria pegar a causa dele por achá-lo pobre demais para lhe pagar seus altos honorários, acaba defendendo-o com unhas e dentes sem cobrar um só centavo, não por causa das condições financeiras de Sam, mas por uma questão de honra diante de seus colegas advogados.
Sam e seus amigos não sesubmetem ao poder, ou seja, praticam o empoderamento. Eles não aceitam ser controlados pelos outros. Eles fazem escolhas, decidem por si mesmos e controlam sua vida. Os amigos estão no apartamento de Sam assistindo a uma fita de vídeo, como fazem uma vez por semana. Muito protetora, a mãe de um deles chega bem antes da hora para levá-lo pra casa. Robert, com firmeza, grita para a mãe: "Ainda não...
tracking img