documentos nao escritos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE
CENTRO DE FILOSOFIA E CIENCIAS HUMANAS
ENSINO DE HISTORIA II

DOCUMENTOS NÃO ESCRITOS NA SALA DE AULA
A concepção de documentos abarca uma variedade demarcas e registros produzidos pelas diversas sociedades ao longo dos anos. A insistência nessa afirmação, já feita e retirada anteriormente, explica-se por ser ela a fundamentação destecapitulo.
Objetos de museus que compõe a cultura material são portadores de informações sobre costumes, técnicas, condições econômicas, ritos e crenças de nossos antepassados. Essasinformações ou mensagens são obtidas mediante uma “leitura” dos objetos, transformando-os em “documentos”.
Imagens produzidas pela capacidade artística humana também nos informam sobre opassado das sociedades, sobre suas sensações, seu trabalho, suas paisagens, caminhos, cidades e guerras. Qualquer imagem é importante, e não apenas aquelas produzidas por artistas.Fotografias ou quadros registram as pessoas, seus rostos e vestuários e são marcas de uma historia. Produções modernas, como os filmes, registram a vida contemporânea e reconstroem o passado,revivendo guerras, batalhas e amores de outrora, ou em movimento e com som. Os filmes não são registrados de uma historia tal como aconteceu ou vai acontecer, mais representações que merecemser entendidas e percebidas não como diversão apenas, mais como um produto cultural capaz de comunicar emoções e sentimentos e transmitir informações.
A música erudita ou a chamadamusica popular que no Brasil integra a nossa cultura tal fortemente, completam a apresentação dos documentos não escritos que podem ser transformados em materiais didáticos preciosos naconstituição do conhecimento histórico escolar.


(BITTENCOUT, Circe Maria Fernandes. Ensino de historia: fundamentos e métodos/ Documentos não escritos na sala de aula. SP: Coretz, 2004).