Divindade e humanidade de cristo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1136 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
DIVINDADE E HUMANIDADE DE CRISTO

RESUMO
Jesus Cristo é o homem de Deus que veio ao mundo , ele é o Messias prometido e que nasceria de mulher ou seja que seria de natureza humana .Apesar de ter a natureza humana ele não nascera de forma natural mas sim sobrenatural pois nasceu de uma virgem assim como Isaias profetizara . Ele era Deus não precisava mas assim o Fez se fez homem com o objetivode propiciar a salvação a humanidade e aniquilar aquele que detinha o império da morte .Desde a concepção de nosso Jesus Cristo, manifestou-se o milagre dessa união de Sua divindade e humanidade. Mesmo tendo nascido de mulher, foi concebido pelo Espírito Santo no corpo de uma virgem escolhida por Deus. Quando esteve “em semelhança de homens”, igualmente foi Deus “manifestado na carne. Em suavida, nosso Cristo, como todos nós, conheceu o cansaço, a sede, a fome. Porém, nele se manifestaram os poderosos atos de Deus soberano que Ele verdadeiramente era. Eis aqui um exemplo: No barco, durante a tempestade, “Jesus estava na popa, dormindo sobre o travesseiro”, homem cansado como todos os outros. Um instante depois, Ele se levantou como Deus Todo-Poderoso e fez com que o vento e o mar seacalmassem. Cristo assim como a Bíblia nos relata ele era homem mas filho de Deus.

Palavras chave: Duas Naturezas; Naturezas Unas; União Indissolúvel

1 INTRODUÇÃO
“As escrituras representam claramente Jesus Cristo tendo sido possuído de uma natureza divina e de uma natureza humana, cada qual inalterada em essência...”. “Cristo fala uniformemente a si mesmo e fala-se dele como uma só pessoa.Não há nenhum intercâmbio de “eu” e “tu” entre as naturezas divina e humana como as achamos entre as pessoas da Trindade. Cristo nunca usa o plural em referência a si mesmo, a não ser em João 3.11 – “nós falamos do que sabemos” – e mesmo aqui o “nós” é mais provavelmente usado como incluindo os discípulos”. Os atributos e poderes de ambas as naturezas são aplicáveis a Cristo e reciprocamente as obrase dignidades de Cristo são aplicáveis a quaisquer das naturezas, de modo inexplicável, a não ser como base no princípio de que estas duas naturezas são orgânica e indissoluvelmente unidas em uma só pessoa. Por isso podemos dizer, por um lado, que o Deus-homem existiu antes de Abraão, contudo, nasceu no reino de César Augusto e que Jesus Cristo chorou, cansou-se, sofreu, morreu, contudo, é o mesmoontem, hoje e eternamente; por outro lado, podemos dizer que um Salvador divino nos redimiu em uma cruz e que o Cristo humano está presente com o seu povo até o fim do mundo.

2 NATUREZAS UNAS
“As constantes representações escriturísticas sobre o infinito valor da expiação de Cristo e da união da raça humana com Deus que têm sido asseguradas nele só são inteligíveis quando Cristo éconsiderado, não como um homem de Deus, mas como um Deus-homem, em quem as duas naturezas são de tal modo unidas que o que cada uma faz tem o valor de ambas”. “A escritura claramente ensina que aquele que nasceu de Maria era totalmente o Filho de Deus assim como o Filho do homem, e que, no ato da encarnação, Jesus se tornou Deus-homem e não na sua ressurreição.“Em Lucas 1.35 – “o Santo, que de ti há denascer, será chamado Filho de Deus”; - e esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de serviço, fazendo-se semelhante aos homens” – temos a evidência de que Cristo foi tanto Filho de Deus como Filho do homem desde o começo da vida terrena. Cristo não tem duas consciências e duas vontades, mas uma só consciência e uma só vontade. Esta consciência e vontade, contudo, nunca é simplesmente humana, mas ésempre teantrópica – atividade de uma pessoalidade eu une em si a humana e a divina. O pai e a mãe humanos são pessoas distintas e cada um dá aos seus filhos algo da sua própria natureza peculiar; contudo, o resultado não são duas pessoas no filho, mas uma pessoa com uma consciência e uma vontade. Assim “a Paternidade de Deus e a maternidade de Maria não produziram uma dupla pessoalidade em Cristo,...
tracking img