Diversidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1041 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Relatório de Leitura

“Uma longa caminhada: memórias de um menino soldado”

Nome: Daniela Sá
Ano/Turma/Número: 10ºA / Nº4
Nome do Autor: Ishmael Beach
Local: Escola Secundária Daniel Faria- Baltar
Data: 7 de Março de 2013
* Identificar o livro lido através de referência bibliográfica;
Beach, Ishmael, 2007. Uma longa caminhada: memórias de um menino soldado. Portugal: Casa das Letras* Identificar o nome do livro;
“Uma longa caminhada: memórias de um menino soldado”

* Referir notas biobibliográficas do autor;
Ishmael Beah nasceu em 1980, em Mattru Jong (Serra Leoa).
Desde 1998, vive em Nova York (Estados Unidos). Concluiu o ensino médio na United Nations International School em Nova Iorque. Em 2004, formou- seem Ciências políticas, onde recebeu o título de bacharel. É membro do Human Rights Watch Children's Rights Division Advisory Committee, falou várias vezes na ONU, para o Council on Foreign Relations e para o Center for Emerging Threats and Opportunities..
Ishmael Beah escreveu o livro “Uma longa caminhada: memórias de ummenino soldado”, uma autobiografia que conta a sua experiência como uma criança soldado na Guerra Civil de Serra Leoa.

* Elaborar uma sinopse de cada conto;
Este livro retrata a vida real e as fases difíceis que o autor, Ishmael Beach, passou.
A história começa, quando o autor ainda era uma criança, no momento em que a sua pequena aldeia foi atacada por rebeldes. Naquele tempo, estava adecorrer uma guerra civil, uma guerra que se iniciou mesmo antes de ele nascer, em que dois partidos lutavam pelo poder, e que se matavam uns aos outros, mesmo sabendo que todos eram da mesma nação. Ele, o seu irmão e um amigo, no momento do ataque, estavam a viajar em direção a outra aldeia e acabaram por perder de vista os seus pais. Eles, então, partiram numa arriscada viagem pelas pequenas vilas ealdeias da Serra Leoa, com a esperança de encontrar os amigos e familiares sobreviventes do ataque da sua aldeia, mas principalmente de sobreviver à guerra civil que assolava o seu país.
A viagem reservou- lhes fome, sede, exaustão e perigo, mas também a separação e dor. Durante a sua estadia numa das aldeias, os rebeldes atacaram- nos novamente e Beah viu- se separado dos outros. Aquela foi aúltima vez que vira o irmão e o amigo. Sozinho, ele terá que continuar a viagem contando com a sua própria sorte à procura da sua família e tentando salvar- se dos conflitos. Em determinado momento, foi capturado pelo exército da Serra Leoa e tornar-se-á um soldado. Ishmael Beah, aos 12 anos de idade, foi obrigado a lutar pela vida, mas sem saber que recompensa teria, porque não tinha expectativasde viver feliz sem a sua família. No início lutava simplesmente pela comida, mas a cada tentativa de sobrevivência, mesmo estando vivo, Ishmael sentia que um pedaço de si morria também. Passado algum tempo, ao estar sozinho, começou a matar, pois naquele lugar ou era matar ou morrer, pois não existia qualquer lei, com o passar do tempo, matava de uma forma cada vez mais cruel, só para superar oúltimo assassinato que tinha cometido. Na sua cabeça só pensava em mortes, guerras e sofrimento, foi como se tivesse passado por uma “lavagem cerebral”. Às vezes, o único alimento que tinha eram drogas, onde misturava cocaína, maconha e pólvora, uma mistura explosiva que o deixava anestesiado das suas próprias atrocidades.
Passados dois anos, envolvido na guerra, a vida proporcionou- lhe umsurpresa, foi escolhido pela Unicef, dentro do seu batalhão de guerrilha, para ser reabilitado e poder ter direito a uma vida normal de um rapaz de 15 anos. Mesmo depois de ser reabilitado pela Unicef, tiveram que fugir dos atentados e foram para a Guiné, país vizinho, com a ajuda de voluntários ligados à Unicef, logo depois foi adotado por uma família americana e desse 1998 vive nos EUA, em Nova...
tracking img