Ditadura e serviço social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5982 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo:
ditadura e serviço social de
Jose Paulo netto



Capitulo1: A autocracia burguesa e o “mundo da cultura”
Os três lustros que desmarcaram no Brasil a forma aberta autocracia burguesa(Fernandes 1975), constituído mesmo , no curso d seu desdobramento, um regimepolítico ditatorial terrorista assinalaram, para a totalidade de sociedade brasileira, uma funda inflexão afirmaram uma tendência de desenvolvimento econômico social e político que acabou por modelar um país novo.
A ditadura burguesa, porém, não operou deles uma reprodução “ simples” , realizou sua reprodução “ampliada” e aqui a sua novidade: o desastre nacional em que se resume osaldo da ditadura para a massa do povo brasileiro desenhou uma sociedade de característica muito distinta das existentes naquela em que triunfou o golpe de abril.
A remissão aos momentos mais cruciais deste processo numa ótica de tratamento sintético, parece ser absolutamente imprescindível para estabelecer com alguma procedência as condições que no mesmo período se desenvolveram (ounão se desenvolveram) certas tendências , paradigmas e linhas de reflexão no serviço social. A esta remissão dedica-se este capitulo.

1.1: Significação do golpe de abril:
Nunca se escapou aos analistas da ditadura brasileira que sua emergência inseriu-se num contexto que transcendia largamente as fronteiras do país . inscrevendo-se num mosaicointernacional em que ma sucessão de golpes do Estado era somente o sintoma de um processo de fundo. A finalidade da contra-revolução preventiva era a tríplice com os seus objetivos particulares íntima e necessariamente vinculados adequar os padrões de desenvolvimento nacionais e de grupos de países a novo quadro do inter-relacionamento econômico capitalista, marcado por um ritmo e uma profundidade maioresda internacionalização do capital golpear e imobilizar os protagonistas sociopolíticos habilitados a resistir a esta reinserção mai subalterna no sistema capitalista e enfim dinamizar em todos os quadrantes as tendências que podiam ser catalisadas contra a revolução e o socialismo.
Os resultados gerais da contra-revolução, mostraram-se nítidos a partir da segunda metade da década desessenta, tais resultados por si sós indicadores consistentes do sentido e do conteúdo internacionais do processo em tela porem alcançaram mediante vias muito diferenciadas, especificas que caracterizam na sociedades em que se materializaram formas econômicas, sociais e políticas cuja peculiaridade só é apreensível se considerar os movimentos endógenos aos quais se engrenavam as iniciativasimperialistas.
As linhas de forcas sua interação que mais decisivamente contribuíram para perfilar esta particularidade são conhecidas. A confluência destas linhas , sua iteração recíproca com variável ponderação da sua respectivas importâncias em diversos momentos do processo de formação do Brasil moderno acabaram por configurar uma particularidade histórica salientada em três ordens de fenômenosdistintos porém visceralmente conectados.
Em primeiro lugar um traço econômico social de extraordinárias implicações operava-se sem desvencilhar-se de formas econômicas sociais que a experiência histórica tinha demonstrado que lhe eram adversas. Na formação social brasileira, um traços típicos e desenvolvimento capitalista consistiu precisamente em que se deu sem realizar as transformaçõesestruturais que noutras formações constituíram as suas pré condições.
Em segundo lugar uma recorrente exclusão das forças populares dos processos de decisão política. A socialização o da política, na vida brasileira, sempre foi um processo incluso e quando nos seus momentos mais quentes colocava possibilidade de um grau mínimo de socialização do poder político os setores de ponta das classes...
tracking img