Ditadores da historia e guerra civil de espanha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4026 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
As ditadoras da história
E
A guerra civil de Espanha














Introdução

Neste trabalho iremos falar dos ditadores da história mundial e da guerra civil de Espanha que levou a ascensão de mais um ditador espanhol.
Iremos falar das suas características e dos meios utilizados nessas ditadoras.
Falaremos também da guerra civil de Espanha e da sua importância para a 2ªguerra mundial.
Mostraremos também, como curiosidade, os 12 ditadores que mais mortos fizeram e as suas respectivas bibliografias.













Os ditadores da história

▪ Mussolini

Ditador italiano. Foi professor primário antes de emigrar, para a Suíça, em 1902 onde trabalhou como operário sendo depois expulso devido à sua militância socialista.
De volta a Itália, em 1914 foiafastado do "Avvenire", jornal socialista, por causa de defender a participação italiana na Iª Guerra Mundial.
Alistou-se no exército italiano e participou na Iª Grande Guerra tendo sido gravemente ferido em 1917.
Funda o jornal anti comunista "Il Popolo d'Italia" e os "Fasci italiani di combattimento" em 1919.
Foi eleito para deputado em 1921, transformando assim o seu movimento em PartidoNacional Fascista (PNF). Um ano mais tarde é chamado pelo rei Vítor Manuel III para formar Governo.
Instaura a ditadura a 3 de Janeiro de 1925, com a proibição da liberdade de imprensa e da existência de partidos e sindicatos.
Assinou, em 1929, o Tratado de Latrão com a Santa Fé ficando assim a cidade do Vaticano sobre poder desta.
Criou o Império Italiano, em 1936, que abrangia a Etiópia e aSomália, neste mesmo ano assina um pacto com Adolf Hitler.
Apoia os nacionalistas na Guerra Civil de Espanha (1936-1939). No ano a seguir ao fim da guerra civil espanhola anuncia a participação italiana na IIª Guerra Mundial, ao lado da Alemanha e do Japão (Eixo).
Foi destituído por Pietro Badoglio em Julho 1943 renunciando ao poder.
Mais tarde funda a República Social Italiana, com sede em Saló.Depois dos ataques dos Aliados foge para a Suíça mas é capturado juntamente com a sua companheira, Clara Petacci.
Foi fuzilado pela Resistência Italiana no dia 28 de Abril de 1945.











A ascensão de Mussolini foi favorecida pela:

▪ Crise económica e social vivida no pós-guerra – inflação, subida dos preços, desemprego e manifestações grevistas;
▪ Crise politica –perda de territórios e instabilidade governativa,
▪ Medo face á onda de violência e aos avanços dos partidos de esquerda;
▪ Desejo de ordem e estabilidade;



O fascismo nasceu assim da necessidade de ordem e de autoridade que as democracias não conseguiam impor.

Um ano mais tarde, após a marcha de Roma (1922), é chamado pelo Rei Vítor Manuel III para formar governo. Nasce assim aditadura Fascista.

Em 1924 ganha, com maioria, as eleições.



















Estado fascista – características


▪ O fascismo é um estado totalitário defensor de um partido único em que todos se submetem aos interesses da Nação e em que a oposição não faz sentido;

▪ Defendem o nacionalismo, a Nação é o valor mais importante que se sobrepõe aos interessesparticulares e de grupos. Faz-se a apologia da Historia e neste sentido apela ao imperialismo que quer retomar a grandeza do Império Romano. Assim, criou o Império Italiano, em 1936, que abrangia a Etiópia e a Somália.

▪ É um estado que defende o militarismo afirmando-se o culto a violência como forma de impor a ordem e afastar os opositores do regime,

▪ Afirma o corporativismo do Estadouma vez que o Estado regula a economia e as relações entre patrão e o operário; os sindicatos e a s greves são proibidos.




▪ Pratica-se o culto a personalidade do chefe, o Duce que é o Salvador, aquele que garante a autoridade e a disciplina.

























Meios de repressão e de propaganda fascistas foram:


▪ Juventude fascistas que...
tracking img