Disturbios do crescimento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4321 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Alterações de Crescimento e Diferenciação - Teresa Lamano/2008


PATOLOGIA
Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
ALTERAÇÕES DO CRESCIMENTO E DA
DIFERENCIAÇÃO CELULAR
Prof
a
Dr
a
Teresa L. C. Lamano
Ribeirão Preto
- 2008 –Alterações de Crescimento e Diferenciação – Teresa Lamano/2008
2
INTRODUÇÃO
Os constituintes de um organismo vivo estão em constante renovação. O ciclo
metabólico celular compreende, por um lado, o catabolismo (degradação de estruturas velhas
e quebra de substâncias para obtenção de energia), e por outro o anabolismo (síntese e
reposição de elementos funcionais e estruturais).
Namaioria dos tecidos e órgãos ocorre também renovação celular, isto é, a
população de células é renovada em um ritmo próprio de cada tecido. Alguns tecidos (tecidos
lábeis), como é o caso dos epitélios de revestimento, do epitélio germinativo masculino e
das células da linhagem hematopoética, conservam um alto índice mitótico durante toda a
vida do indivíduo. Outros tecidos (tecidosestáveis) apresentam normalmente um baixo
índice mitótico, como é o caso dos tecidos conjuntivo, cartilaginoso e ósseo, das glândulas
etc. Até há pouco tempo se pensava que nos tecidos cujas células adquirem um alto grau de
especialização (diferenciação) é perdida a capacidade de renovação (multiplicação celular),
como é o caso dos neurônios e das células musculares estriadas(tecidos perenes). Existem
hoje comprovações de que, pelo menos em algumas áreas do sistema nervoso central, pode
ocorrer multiplicação de células progenitoras que dão origem a novos neurônios, um
processo denominado de “neurogênese”.
Apesar da renovação metabólica e da renovação da população celular, em condições
normais são mantidas constantes as características morfológicas e funcionais(ou seja, a
especialização), bem como o volume próprios de cada célula e tecido. Isto se deve à
existência de mecanismos de controle da multiplicação e da diferenciação celular. Este
controle resulta da ação coordenada de sinais químicos (hormônios, neurotransmissores,
fatores de crescimento, citocinas) transmitidos entre células próximas ou distantes e também
entre as células e amatriz extracelular. A maior parte desses sinais (ou ligantes) são
peptídeos ou proteínas que se ligam a receptores específicos localizados na membrana
citoplasmática das células-alvo. Alguns deles, no entanto, por serem lipossolúveis são
capazes de atravessar a membrana citoplasmática e ligar-se a receptores localizados no
interior do citoplasma ou no núcleo.
Os receptores ativados pelosligantes desencadeiam uma cascata de ativação de
proteínas e enzimas citoplasmáticas, que culmina com a fosforilação de proteínas reguladoras
(repressoras ou ativadoras) da expressão gênica. A fosforilação modifica a conformação Alterações de Crescimento e Diferenciação – Teresa Lamano/2008
3
espacial das proteínas e altera sua atividade e, dependendo da proteína fosforilada, podemser
estimuladas ou inibidas funções celulares específicas (processo de transdução de sinais
químicos). O equilíbrio entre o estímulo e a inibição das atividades celulares é estabelecido
por mecanismos capazes de desativar os receptores, após cumprida sua atividade normal, e
também por enzimas fosfatases, que promovem a desfosforilação proteíca.
Da forma descrita anteriormente é controladaa expressão de genes associados com a
diferenciação celular (isto é, com atividades celulares específicas como contração,
secreção, fagocitose, etc.), com a multiplicação celular e com a apoptose (para maiores
detalhes, leia o capítulo 6 do livro Biologia Celular e Molecular, de Junqueira e Carneiro).
Em termos quantitativos, a população celular de um órgão ou tecido é determinada,...
tracking img