Distribuição espacial, temporal e dieta de anfíbios anuros em uma poça temporária na Serra do Cipó, MG.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7766 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de dezembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Distribuição espacial, temporal e dieta de anfíbios anuros em uma poça
temporária na Serra do Cipó, MG.
Isabella Zanon Vitoriano *
Luciana Barreto Nascimento **
Resumo
Uma comunidade de anuros foi estudada em uma poça temporária na Serra
do Cipó, Minas Gerais (19º20'35''S e 43º37'06''W), com o objetivo de verificar a
sucessão temporal das espécies, uso do hábitat e dieta. Campanhasquinzenais
para coleta de dados foram realizadas de outubro de 2005 a fevereiro de 2006.
Campanhas mensais foram feitas de março a maio de 2006. Em cada dia de
campanha, foram coletados até três exemplares de cada espécie encontrada. Os
animais foram capturados através de busca ativa e de cada um foram registradas
informações, tais como horário e local de coleta e substrato em que se encontravam.Foram registrados de 13 espécies: Dendropsophus minutus, D. rubicundulus,
Elachistocleis ovalis, Hypsiboas crepitans, H. faber, Leptodactylus fuscus, L.
ocellatus, Physalaemus centralis, P. cuvieri, P. marmoratus, Scinax aff. perereca, S.
fuscomarginatus e S. fuscovarius. Durante as atividades de campo a poça
apresentou três estágios - seco, intermediário e cheio. Os exemplares coletadosutilizaram como substrato água, capim, folhas, galhos de arbustos e árvores e tocas,
sendo que cada espécie demonstrou preferências quanto a esta utilização. Além
disto, a ocorrência das espécies esteve relacionada à disponibilidade destes
substratos, que variou conforme o estágio da poça. A dieta das espécies foi
composta principalmente por insetos não aquáticos.
Palavras-chaves: comunidade,anuros, poça temporária, habitat, dieta.
________________________________________
* Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas – Licenciatura e Bacharelado em Gestão Ambiental da
PUC Minas Betim, bolsista PIBIC/CNPq pelo projeto FIP03/TLE-1 2005/2006. E-mail:
isabella_zanon@hotmail.com
** Professora do Departamento de Ciências Biológicas PUC Minas, curadora da Coleção de
Herpetologia - Museu deCiências Naturais PUC Minas, Programa de Pós-graduação em Zoologia de
Vertebrados. Avenida Dom José Gaspar, 290, cep 30535-610 – Coração Eucarístico, Belo Horizonte,
Minas Gerais. E-mail: luna@pucminas.br

1. INTRODUÇÃO
Estudos de comunidades de anuros podem fornecer informações à respeito
da diversidade local, tais como riqueza, abundância, distribuição espacial e temporal
e diversidadeacústica das espécies (DIXON & HEYER, 1968; AICHINGER,
1987,1992; CARDOSO & MARTINS 1987; CARDOSO et al. 1989; HADDAD &
SAZIMA, 1992; NASCIMENTO et al. 1994; ROSSA-FERES & JIM, 1994, 1996;
POMBAL, 1997, BERTOLUCI, 1998; ETEROVICK & SAZIMA, 2000; BERTOLUCI &
RODRIGUES, 2002a, b; TOLEDO et al., 2003; ABRUNHOSA et al., 2006).
Informações sobre organização espacial e temporal e acústica decomunidades de
anuros, geralmente, oferecem evidências sobre a existência de partilha de recursos
(CARDOSO & HADADD, 1992).
Em relação à dieta, estudos envolvendo comunidades de anfíbios podem
determinar a utilização dos recursos e a segregação de nichos, proporcionando
informações sobre a história de vida das espécies e elementos necessários à
tomada de decisões relacionadas à conservação e manejo(SANABRIA et al. 2005).
Atualmente, são poucos os dados registrados referentes à organização da
comunidade de anfíbios em poças temporárias (ver; ETEROVICK & SAZIMA, 2000;
TOLEDO et al., 2003; ABRUNHOSA et al., 2006), principalmente quando
comparados aqueles conduzidos em poças permanentes (ABRUNHOSA et al.,
2006). Entretanto, esse tipo de ambiente oferece um sistema experimental
conveniente,que por ser de fácil estudo e apresentar comunidades relativamente
simples, permite compreender a organização das comunidades (BLAUSTEIN &
MARGLIT, 1996).
O presente estudo foi realizado em uma poça temporária localizada no distrito
da Serra do Cipó (19º20'35''S, 43º37'06''W), município de Santana do Riacho, Minas
Gerais no limite sul da Cadeia do Espinhaço. Esta cadeia está inserida no...
tracking img