Discussão ética para lei de cotas

Ser afirmativo é afirmar-se. Disto que se trata a lei de cotas.
Neste artigo abriremos O debate da ações afirmativas face a Justiça e a igualdade exemplificando a lei de cotas para negros emunivesidades face ao direito de todos.
Falaremos da condição transitória das leis afirmativas e abriremos o debate da transigência delas e do seu grau medidor ético.
O enfoque se dá para O debateaberto das citações afirmando o Direito e a justiça como conquistas de pessoas que se afirmam frente a um Estado.
Em útima, posicionarmos como sujeitos éticos fundametalmente evolídos no seu modo deser e de "morar" (em sociedade) a favor das condições que agregam a luta pela justiça e o Direito para todos. Esta concepção é também permeada por muitos conflitos éticos de pontos de vista face aigualdade das pessoas, mas frisamos que o condutor das nossas ações imediatas e das nossas ações planejadas é o nosso tempo histórico que exige de nós a nossa compreensão dele para afirmarmos econquistarmos os nossos Direitos na prática por meios acessíveis, legítimos e transitórios.




As ações afirmativas( cota de vagas para negros nas universidades e reservas de vagas emconcursos públicos para portadores de deficiência) face a justiça e ao Direito.



Ser afirmativo é afirmar-se. Disto que se trata a lei de cotas.
A luta dos negros, deficientes, indígenas,etc, pelo direito as cotas e as ações afirmativas deve ser vista como uma luta "deles" e para "eles" a curto prazo como uma política emergencial e a longo prazo como uma política nossa, constitutiva daprática do direito de todos sendo exercida, ou seja, estes grupos que possuem fenótipos semelhantes que agregam preconceito em meio a uma sociedade construída à margem das suas aspirações naestruturação e contrução do mundo moderno e viabilizando a jústiça que vem pela exerção dos direitos comuns de qualquer cidadão na sua prática e isso é o mais importante nesta fase.
O sistema de cotas...
tracking img