Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (457 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Após negativa do STJ, acusado de matar Aryane deve ir a júri na Paraíba
Pedido foi feito para que acusado não fosse a júri popular, diz defesa. 
Segundo promotor do 1º Tribunal de Júri, não há datapara julgamento.
Do G1 PB
Comente agora
O pedido da defesa de Luiz Paes de Araújo Neto para impedir o julgamento do acusado em júri popular pela morte de Aryane Thaís, estudante morta em abril de2010, foi negado pelo ministro relator da 5ª Turma  do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Diante da decisão desfavorável ao acusado, o advogado Genival Veloso disse que não pretende mais recorrer dadecisão. "A gente se conforma e entende que vai enfrentar a matéria no Tribunal do Júri", revelou Genival Veloso ao G1. Luiz Paes Neto aguarda o julgamento em liberdade. 
saiba mais
*-------------------------------------------------
Justiça da PB mantém júri popular do acusado de matar estudante Aryane
* -------------------------------------------------
Desaparecimento de estudante naParaíba completa uma semana
* -------------------------------------------------
Decretada prisão preventiva de acusado de matar defensora na PB
O promotor do 1º Tribunal de Júri de João Pessoa,Alexandre Varandas, afirmou que, com a negativa, e caso não haja mais recurso, o processo vem para a Paraíba e o juiz do caso vai marcar a data do júri. “O processo só vem para o Tribunal de Júriquando não houver mais recurso, ou se o STJ entender que o recurso existente não impede a realização do julgamento. Nesse caso, como só houve apelação, caso não haja recurso da defesa, o processo já vempara cá”, explicou Alexandre Varandas.
Para a mãe de Aryane, Hipernestre Carneiro, o resultado do processo foi uma vitória. “Depois de dois anos e nove meses do assassinato da minha filha, eu recebouma notícia dessas. Estou muito feliz. Quero agradecer às mais de 15 mil pessoas que colaboraram com assinaturas para que o acusado fosse a júri popular. Temos que dar um fim à impunidade, que acaba...
tracking img