Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1965 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sintetizando o que você estudou....

Frase, oração e período
Sintetizando esses três conceitos, temos:

Frase: É toda unidade linguística (com ou sem verbo) por meio da qual o falante transmite uma ideia.

Oração: É a frase ou parte de frase constituída em torno de um verbo
Período: É a frase constituída por oração ou orações. Pode ser simples (urna só oração) ou composto (mais de umaoração).

Características do sujeito

Sujeito: termo da oração que nomeia o ser a respeito do qual se declara alguma coisa; é também o termo com o qual o verbo estabelece concordância.

Classificação do sujeito

1.Simples — um só núcleo (Um sol claro anunciava o verão.).
2.Composto — mais de um núcleo (A casa e o quintal eram imensos.)-
3. Elíptico, oculto ou desinencial— identificável peladesinência verbal ou pelo contexto
(Em breve, terás uma ótima surpresa, [sujeito: tu]).
4. Indeterminado — ocorre com verbo na 3a pessoa do sing. + se
(Precisou-se de novos professores.).
verbo na 3a pessoa do plural (Ainda não inventaram a máquina do tempo)
5. Inexistente (oração sem sujeito) — com verbos impessoais.
Principais verbos impessoais:
Haver no sentido de "existir" / "acontecer"(Logo haverá novos remédios para essa
doença.).
Fazer indicando tempo (Já faz vários anos / que o prédio está fechado.).

* Funções da palavra se
Pronome apassivador — com verbo na 3a pessoa do singular ou do plural Carnais se divulgarão essas informações. [A oração admite passiva analítica; Essas informações jamais serão divulgadas.]).
Índice de indeterminação do sujeito — com verbo na 3apessoa do singular
Jamais se concordou com essas informações. [A oração não admite passiva analítica.]

Praticando...
Para falar e escrever bem, é preciso, além de conhecer o padrão formal da Língua Portuguesa, saber adequar o uso da linguagem ao contexto discursivo. Para exemplificar este fato, seu professor de Língua Portuguesa convida-o a ler o texto Aí, Galera, de Luís Fernando Veríssimo.No texto, o autor brinca com situações de discurso oral que fogem à expectativa do ouvinte.

Aí galera
Jogadores de futebol podem ser vítimas de estereotipação. Por exemplo, você pode imaginar um jogador de futebol dizendo "estereotipação"? E, no entanto, por que não? 
 - Aí, campeão. Uma palavrinha pra galera. -Minha saudação aos aficionados do clube e aos demais esportistas, aquipresentes ou no recesso dos seus lares.   - Como é? 
 - Aí, galera. 
  - Quais são as instruções do técnico? 
 - Nosso treinador vaticinou que, com um trabalho de contenção coordenada, com energia otimizada, na zona de preparação, aumentam as probabilidades de, recuperado o esférico, concatenarmos um contragolpe agudo com parcimônia de meios e extrema objetividade,valendo-nos da desestruturação momentânea do sistema oposto, surpreendido pela reversão inesperada do fluxo da ação.
- Ahn?
É pra dividir no meio e ir pra cima pra pegá eles sem calça.
  - Certo. Você quer dizer mais alguma coisa? 
- Posso dirigir uma mensagem de caráter sentimental, algo banal, talvez mesmo previsível e piegas, a uma pessoa à qual sou ligado por razões,inclusive, genéticas?
    - Pode.
    - Uma saudação para a minha progenitora. 
    - Como é? 
    - Alô, mamãe!
    - Estou vendo que você é um, um... 
    - Um jogador que confunde o entrevistador, pois não corresponde à expectativa de que o atleta seja um ser algo primitivo com dificuldade de expressão e assim sabota a estereotipação? 
    -Estere o quê? 
    - Um chato?
Isso.
Correio Braziliense, 13/05/1998.
01. O texto retrata duas situações relacionadas que fogem à expectativa do público. São elas:
a)a saudação do jogador aos fãs do clube, no início da entrevista, e a saudação final dirigida à sua mãe.
b) a linguagem muito formal do jogador, inadequada à situação da entrevista, e um jogador que fala, com...
tracking img