Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2357 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FICHAMENTO - ROUSSEAU, Jean-Jacques. “Do Contrato Social”– Livro Primeiro
FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL
2007
 
Logo no começo de seu livro, Rousseau indaga sobre a ordem civil, sobre o homem como é e as leis como deveriam ser, querendo sempre unir o que o direito permite ao que ele prescreve, com finalidade de jamais separar a justiça da utilidade.
Mais adiante já adianta, que com certezavão lhe perguntar: Se ele é príncipe ou legislador, para escrever sobre política? Responde que não, e que por isto mesmo que escrevi sobre este assunto, pois se fosse um príncipe ou um legislador, não perderia seu tempo dizendo o que deve ser feito e sim o faria ou então se calar diante de tal.
Membro do soberano ressalta que mesmo que fraca seja a influência que sua opinião possa ter no meiodos negócios políticos, basta-lhe o direito de votar para que deva se instruir sobre o assunto, um verdadeiro apaixonado pelo seu país, sempre se refere a Genebra, sua cidade, como modelo de república, exaltando-a na Dedicatória do Discurso sobre Desigualdade e também não a esquece na Economia política: “... para expor aqui o sistema econômico de um bom governo, freqüentemente voltei os olhos para odesta republica”.
Capítulo I – Objetivo deste primeiro livro
Salienta neste capitulo que o homem nasceu livre, mais que em toda parte vive preso, usa ainda o termo “sob ferros”. Que em muita das vezes o homem se acha dono dos outros homens, mais que ele também é tão escravo quanto aos que ele escraviza.
Citar ainda que o povo quando é obrigado a obedecer, obedece e faz isto bem, mas assim quepode reverter esta situação, ai sim, a faz, e de maneira melhor ainda, pois com o mesmo direito que lhe tiraram a liberdade desta maneira, com este mesmo direito ele pode recuperá-la. A ordem social é considerada por ele um direito sagrado, na qual serve de alicerce para todos os outros, todavia, este direito não se origina da natureza, sendo este fundamentado em convenções.
Capítulo II – Dasprimeiras sociedades
Segundo Rousseau, a mais antiga das sociedades, a primeira e também a única natural é a família, mais mesmo esta, só permanecem ligadas as raízes ate a maior idade dos filhos. Depois desta se a ligação ainda permanecer, ai já não é mais natural e sim voluntário, por convenção.
É a família, portanto, o primeiro modelo das sociedades políticas; o chefe é a imagem do pai, o povoa imagem dos filhos, e havendo nascido todos livres e iguais. Sendo a maior diferença que na família, o amor do pai pelos filhos é tão grande que compensa os cuidados que os filhos lhe dão, já no Estado o prazer de mandar, substitui tal amor que o chefe deveria ter pelo povo.

Capítulo III – Do direito do mais forte
A força é uma potência física, o mais forte não é nunca bastante forte paraser sempre o senhor, se não transforma força em direito e obediência em dever, dai vem o direito do mais forte. Sucumbir à força constitui um ato de necessidade, não de vontade, e no máximo um ato de prudência da parte da pessoa que está sendo forcada, uma vez que o mais forte sempre tem razão, trata-se de cuidar para ser o mais forte. Sendo que, se é preciso obedecer pela força, não é necessárioobedecer por dever, e se não é mais forcado a obedecer, já não se é mais obrigado a nada.
A palavra direito nada acrescenta à força não significa aqui coisa nenhuma, pois, força não é direito, e não é obrigado a obedecer nada, senão às autoridades legítimas.
Cada homem é livre no que escapa a essas convenções, sendo obrigado a obedecê-la para viver em sociedades. Mas essas convenções, como jávimos devem representar a vontade geral, ou o que é útil para todos e ajuda a conservar a vida e a produzir.
Capítulo IV – Da escravidão
Nenhum ser humano tem direito sobre outro ser humano, a força não produz direito algum. Mesmo que cada um pudesse transferir para outrem a si mesmo, não poderia fazer o mesmo com os filhos, pois estes nasceram livres, e sua liberdade os pertence, sendo que...
tracking img