Direito ao desenvolvimento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 68 (16822 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
DECLARAÇÃO SOBRE O DIREITO AO DESENVOLVIMENTO



Trabalho apresentado na Cadeira de Direito
Internacional Público, para complementação
da AV2.








Belo Horizonte 14 de maiode 2007














[pic]


GERNIKA - Obra de Pablo Picasso sobre o bombardeio de Gernika





















Quelque soit lê milieu ou il s’aplique,
lê droit a la mêmefondament, parce
qu’il a toujours la même fin: il vise
partou l’homme, et rien que l’homme.

Nicholas Politis. Lê nouvelle tendances du droit international, Paris : Hachette, 1927, p.77)
DECLARAÇÃO SOBRE OS DIREITO AO DESENVOLVIMENTOFazendo um retrospecto da história da humanidade ou das civilizações podemos observar que sempre houveram regiões que se desenvolveram mais e outras continuavam em atraso, quer intelectual, quer no desenvolvimento de novas técnicas ou mesmo de processos que geravam riquezas.
Resumindo, pois o objetivo do trabalho foge à história universal, concluímos que parece que certos povos foramestigmatizados e condenados ao subdesenvolvimento em todos os setores.
Mas, a bem da verdade, pensamos que lhes faltou oportunidade e pessoas capazes de promoverem o impulso desenvolvimentista.
Desde os tempos do Egito, pelo menos até onde lemos e obtivemos informações predominou o escravagismo. E em determinado tempo da história universal havia a sociedade por castas, que impedia oacesso de indivíduos às classes que lhes eram superiores. Está ai uma das forjas da pobreza universal. Em quaisquer nações do mundo, mesmo as mais civilizadas há os pobres, mendigos e os miseráveis, em seu sentido lato.
Natural que a Europa, uma civilização de milênios, com uma população originada de várias raças, puderam, ao longo do tempo criar uma elite pensante. Assim sucedeu com a GrãBretanha, que foi quem primeiro fez sua revolução industrial. Anos depois seguida pela Alemanha, que se tornou no século XIX um dos expoentes da tecnologia e da industrialização face a reforma educacional promovida pelo Barão Von Humboldt, imitada por quase todo o mundo, tão bem como a França, berço da intelectualidade e das artes juntamente com a Itália.
Dessa mesma Europa, em fins doséculo XV e princípio de século XVI, principalmente Portugal, Espanha e Inglaterra deram início às grandes navegações e conquistaram vários povos e várias terras despovoadas. Iniciava a política das colonizações, na maioria das vezes predatórias, como as espanholas na América do Sul, a Portuguesa na África, no Timor e no Brasil e várias outras. Essas colônias foram espoliadas, tiveram suas culturas eseus povos dizimados. No Brasil houve uma colonização que sempre primou pelo extrativismo. Os Portugueses saquearam nosso país, desde as Capitanias até a Independência. Outra colonização mais predatória aconteceu na África colonizada pela Bélgica, Portugal e Inglaterra principalmente, sendo a pior delas a inglesa, totalmente extrativista, escravagista e racista.
Essas colônias, ao selibertarem ou terem sido declaradas independentes, quer por lutas internas quer por desinteresse dos colonizadores, como foi o ocorrido no Timor, tiveram que iniciar um processo de reconstrução, mas já havia ocorrido um fenômeno dos mais cruéis, haviam perdido a sua identidade, seja pela miscigenação racial, seja pela cultural.
A única colônia que se desenvolveu e veio a se tornar a maior nação...
tracking img