Dimensionamento de canais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1324 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
DIMENSIONAMENTO DE CANAIS COM
DIMENSIONAMENTO
EFEITO DE MARÉS

José Rodolfo Scarati Martins
Baixada Santista - 02 a 05 de outubro de 2.000

Referências
Material da aula disponível em
www.fcth.br/cursos
Notas de Aula
Diretrizes para Drenagem Urbana
Escoamento em Condutos Livres

Programa






Fatores intervenientes no projeto de canais
Vazão de Projeto
DimensionamentoHidráulico
Verificação dos Efeitos de Maré

Aquedutos romanos do sec III

Canal Pereira Barreto/SP

Canal Pereira Barreto/SP

Pirajussara/SP

Canal com revestimento em Gabião Caixa

Rio Cubatão/Joinville - SC

Canal com revestimento lateral em gabião

Seção Transversal Mista Autolimpante

Canal Trapezoidal com degraus

Canal retangular com degraus

Revestimentotradicional em gabião

Canal com
revestimento em
placas de
concreto

Rio Tietê
SP

Grandes Canais - Grandes Problemas

Córrego Jacu-Pêssego

Ribeirão das Antas

Ligação Jundiaí Cachoeira

Projeto de Canais
•Traçado em planta
•Estudos Hidrológicos
•Dimensionamento da Seção
•Transições e Interferências
•Verificação da Linha d’Água

Estudos Hidrológicos
• Vazão deProjeto
– bacia de contribuição (área, tempo de
concentração, devlividades, ocupação,
impermeabilização e etc.)
– chuva de projeto (Tr 25 anos, 50 anos …)

FCTH ; PMSP Diretrizes para Drenagem Urbana . São
Paulo, 1998, 140 p.

Bibliografia Recomendada

Bacia de Contribuição
•Identificar área homogênas
em termos de ocupação

•considerar drenagens já
implantadas e divisores de
águaartificiais

Influência da Urbanização na
Impermeabilização
70
60
% imperm
% da área

50

% dir

40
30
20
10
0
0

50

100

150

200

Hab/ha

250

300

350

Zona Densidade Hab/há

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

9
21
26
39
29
54
69
87
87
87

35
83
104
156
116
216
274
348
348
348

% imperm

% dir

16.5
42.1
52.3
61.3
56.1
64.0
65.567.0
67.0
67.0

10.2
23.0
28.1
32.7
30.1
34.0
34.7
35.5
35.5
35.5

Chuva de Projeto
•Equações I-D-F
•Banco de Dados Pluviométricos
•Observações Instantâneas (telemetria)
•Observações de radar

it ,T = 27.96T

0 ,112( t +15) −0.86 T

0.0144

(Ochipintti 1965)

it,T = 29,13 T 0,181 (t +15) –0 ,89 (Paulo S. Wilken 1972)

Chuva de
Projeto

it,T = 37,05 (t +20) – 0, 914 + (t +20) – 0 ,914 . [– 5,966 – 10,88 ln ln (T / T– 1)] (Mero e Magni
(1982)
it,T = 39,3015 (t+20)– 0,9228 + 10,1767 (t+20) – 0,8764 . [– 0,4653 – 0,8407 ln ln (T /T–1)]
(Francisco Martinez 1999)
Posto
Itanhaem
Cubatão 1
Cubatão 2
Cubatão 3
Cubatão 4
Guarujá
Bertioga
Bertioga
Cananéia
Iguape
Iporanga
Sete Barras
Eldorado
Cubatão-1998
Iguape-1998
Santos (Magni & Mero)Santos (Otto Pfafsteter)
Santos Ipanema (Otto Pfafsteter)
Média
Média + 10%
Média - 10%

Altitude (m)
3.00
5.00
670.00
500.00
100.00
3.00
5.00
10.00
7.00
5.00
80.00
30.00
20.00
5.00
5.00

Período de Observação
5
10
74 a 96
46.2 54.4
74 a 92
47.1 53.1
45.5 49.2
49.1 56.7
43.0 47.8
69 a 96
41.8 48.9
74 a 93
33.5 36.8
48.3 55.6
74 a 93
43.4 52.0
75 a 94
49.959.0
39.3 44.2
74 a 93
47.6 55.4
41.3 46.5
74 a 92
50.4 58.7
61.5 71.2
37.8 44.8
51.3 58.5
77.4 88.2
47.5 54.5
52.2 59.9
42.7 49.0

15
59.0
56.5
51.3
60.9
50.5
52.9
38.7
59.7
56.8
64.1
47.0
59.9
49.5
63.3
76.7
48.8
62.6
94.5
58.5
64.3
52.6

20
25
50
100
62.3 64.8 72.5 80.1
58.8 60.7 66.3 71.9
52.8 53.9 57.4 60.9
63.9 66.2 73.3 80.3
52.4 53.9 58.4 62.955.8 57.9 64.7 71.3
40.0 41.0 44.0 47.1
62.6 64.8 71.6 78.4
60.2 62.8 70.7 78.7
67.7 70.5 79.1 87.5
48.9 50.4 54.9 59.5
63.1 65.5 72.9 80.3
51.5 53.2 58.1 63.0
66.6 69.1 76.9 84.6
80.6 83.5 92.7 101.8
51.5 53.62 60.2 66.7
65.6 67.9 75.1 82.4
98.9 102.4 113.3 124.3
61.3 63.4 70.1 76.7
67.4 69.8 77.1 84.4
55.2 57.1 63.1 69.1

Vazão de Projeto

Q = CiA

Método Racional ( Bacias...
tracking img