Dilema moral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1126 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal de Goiás – UFG

CAMPUS CIDADE DE GOIÁS – GO















Ética























Goiás-GO

2012

Amanda Camilo

Daiane Pacheco

Dâmaris Lopes

Isadora de Paula

Phaloma Mesquita







Dilema Moral







Trabalho apresentado como requisito parcial à conclusão do 3ºsemestre do Curso de Bacharelado em Serviço Social da Universidade Federal de Goiás, Campus Cidade de Goiás, sob a orientação da professora Dnd. Ana Gabriela Colantoni.









Goiás - GO 2012


Resumo

A ética normativa, sendo uma regra geral, temvárias correntes com o objetivo de alcançar as boas ações, tendo três linhas de analises: Ética das Virtudes de Aristóteles (mediania das ações de forma natural), Ética da Deontologia de Kant (em que o agir correto deriva-se do dever) e a Ética Utilitarista de Mill (a maior felicidade). O dilema moral é um problema difícil de ser detectado, fundado em princípios diferentes e que gera controversas depensamentos. O consumo de drogas é um dilema moral, composto por várias polêmicas, já que as pessoas se tornam usuárias na busca do prazer momentâneo, porque prezam em maximizar o prazer e diminuir a dor, no entanto aqueles que são contra dizem que prejudicam a saúde, levando a vários problemas morais e sociais. As drogas além de serem usadas pelo prazer, também são utilizadas por razão medicinal ereligiosa há vários anos, assim seus problemas não são novos.
Palavras-chave: Ética Normativa. Dilema moral. Consumo de drogas. Problemas morais. Prazer.














Dilema Moral


A ética normativa estuda a regra geral, indicando a maneira das pessoas pensarem e comportarem, ela divide se em meio de três linhas, a de virtudes, deontologia e utilitarismo.
Naética das virtudes (bem viver) de Aristóteles, é preciso que se tenha uma avaliação na ação, de maneira que encontre uma mediania, um meio termo. A virtude é uma disposição de caráter da alma que ira se aperfeiçoar através do habito e um individuo nasce com pré-disposição na qual forma o habito. Assim um cidadão é adaptado por natureza para receber virtudes morais (disposições da alma) tornando sevirtuoso através do hábito, deste modo ele deve ser virtuoso e não vicioso, pois o Estado irá punir o vicioso.
“A virtude é, pois, uma disposição de caráter relacionada com a escolha e consiste numa mediania, isto é, a mediania relativa a nós, a qual é determinada por um princípio racional próprio do homem dotado de sabedoria prática.” (AMÉRICO, 1991, p. 25).
Kant observa o bemindividual, pois para ele agir por dever é o modo de conferir à ação o valor moral, por sua vez, a perfeição moral só pode ser atingida por uma vontade livre, e uma vontade só ira ser boa e livre se for subordinada ao dever e livre das inclinações. Assim sua lei é: “deve agir de tal modo que a máxima de sua ação possa ser universalizada”. “[...], pois á máxima da ação falta o valor moral, que só estápresente quando as ações são praticadas, não por inclinação, por dever. (KANT, p.8)
Enquanto para Mill deve se maximizar o prazer e minimizar a dor (conceito da maior felicidade). Pra ele não tem sentido agir somente pelo dever, mas sim por prazer, assim irá gerar uma maior felicidade e uma ação só será moral se suscitar o maior prazer. O principio do bem-estar máximo trás que se deve agirsempre de forma a produzir a maior quantidade de bem-estar coletivo analisando as consequências.


O credo que aceita a utilidade ou o principio da maior felicidade como a fundação da moral sustenta que as ações são corretas na medida em que tendem a promover a felicidade e erradas conforme tendam a produzir o contrário da felicidade. (MILL, p. 186)


O...
tracking img