Dificuldades e perspectivas de aprendizagem no ensino da matemática do 6º ano do ensino fundamental

DIFICULDADES E PERSPECTIVAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DA MATEMÁTICA DO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Introdução

Atualmente, um dos principais objetivos do sistema educacional é qualificar o cidadão para que se insira no mundo das relações sociais, estimulando o crescimento coletivo e individual e o respeito mútuo, mostrando a ele as formas diferenciadas de abordar os problemas que seapresentam, diariamente, a cada um. Estes objetos inseridos no meio educativo de forma alienada também têm sido nos últimos anos elementos de discussão e de responsabilidade da Matemática como disciplina, e daqueles que lidam com ela em sala de aula, levando os professores a refletir acerca da formação básica do indivíduo, enquanto sujeito da aprendizagem.
Os profissionais da área que sepreocupam em desmistificar o ensino da Matemática acreditam que é possível alcançar esses objetivos desde que seja levada em consideração a realidade das influências sofridas pelo aluno em sua vivência diária em conexão ao que se aprende em sala de aula. Como retrata de forma clara os Parâmetros Curriculares Nacionais (Brasil, 1998, p. 27) sobre o papel da Matemática nessa constituição:Falar em formação básica para a cidadania significa refletir sobre as condições humanas de sobrevivência, sobre a inserção das pessoas no mundo do trabalho, das relações sociais e da cultura e sobre o desenvolvimento da crítica e do posicionamento diante das questões sociais.

Assim, é importante refletir a respeito da colaboração que a Matemática tem a oferecer com vistasà formação da cidadania. Nesse sentido, o trabalho que o professor faz nessa linha, contribui para a formação do aluno na aquisição da própria autonomia e confiança tornando-o capaz de enfrentar e superar desafios.
Contudo, ainda, o conhecimento matemático tem que ser construído pelo aluno mediante atividades que lhe despertem interesse para aprendê-lo, por meio das relações do que vêdentro da escola com o que já conhece fora dela, tendo a Matemática como o instrumento primeiro para educar socialmente.
Saber Matemática nos dias atuais torna-se cada vez mais necessário ao nosso dia-a-dia, uma vez que as tecnologias e os meios de informações são baseados em dados quantitativos, qualitativos e espaciais, em diferentes representações. A complexidade do mundo do trabalhoexige da escola, cada vez mais, a formação de pessoas que saibam fazer perguntas, questionarem com competência, que assimilem rapidamente informações e resolvam problemas utilizando processos de pensamento cada vez mais elaborados e precisos.
Com essa convicção, o desenvolvimento das competências e habilidades vincula-se a própria sobrevivência do indivíduo. Por isso, segundo MENDES (2006a,p.7), o momento é de grande reflexão e de repensarmos, enfim, o que devemos e o que queremos ensinar aos nossos alunos? De que modo pode agir para que a matemática retome seu lugar de “rainha das ciências” e não “assassina das indigências, pois a cada instante assistimos ao processo de degeneração da espécie humana, seleção social, empobrecimento dos já pobres e a ampliação de um analfabetismomatemático”.
Tendo em vista a especificidade da Matemática e as bases cognitivas do aluno do ensino fundamental, a contextualização do saber matemático torna-se uma condição imprescindível.
Foi a partir da observação do cotidiano nas atividades como estagiária, que percebi a necessidade de buscar subsídios necessários para ampliar e aprimorar a prática pedagógica especificamentesobre o ensino dos conteúdos matemáticos no 6° Ano do Ensino Fundamental (necessidades e dificuldades do aluno), tendo como foco as possíveis razões que comprometem a aquisição na aprendizagem pelo aluno.
Com base nas fundamentações feitas por vários autores, como Alves (2001), PCN’s (1998), Duarte (1983) foi possível observar que os alunos necessitam aprender os conceitos matemáticos...
tracking img