Didi

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4683 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Educação no Brasil
Atualidade

10/05/2012
Faculdade santa Izildinha FIESI/UNIESP
Professor:Me Silvio Donisete Vieira dos Santos

Adriana Basílio da Silva
Cesar Faria
Ida Maria Pereira
Jessica Lopes Ferreira
Renata Basílio da silva
Rizanusa da Cruz Santos Farias

Introdução

Nossa pesquisa apresenta a condição da educação no Brasil no período atual,comentando sua estrutura e aforma em que o governo brasileiro tem tratado um setor tão importante e fundamental para o desenvolvimento do nosso Pais ,educação essa que ate décadas anteriores não apresentou resultados satisfatório que sempre barrada em uma política incapaz de proporcionar resultado que elevasse o nível educacional do brasileiro.

Crise Social e a Influencia na educação

A crise social teve inicio nasdécadas de 80 do século xx,com a reforma que envolveu países, foi o principal tema nos debate políticos que afetou a sociedade em geral ,e claro que houve crescimento de alguns setores porem a educação com a crise foi muito afetada sem incentivo do governo,que se preocupou com a divida externa.Um exemplo disso foi a descentralização da autonomia das escolas;a livre escolha das escola pelos pais: doreforço de procedimentos de avaliação e prestação de contas; da diversificação da oferta escolar (cada “público” sua escola); da contratualização da gestão escolar e da prestação de determinados serviços; etc.
O Brasil trouxe uma profunda desigualdade social e econômica e com isso marca a e situação social que experimentou praticamente durante toda a segunda metade do século XX,havendo amaior crise social e econômica para os países de médio e alto desenvolvimento econômico,fazendo assim um sistema de proteção social incompleto. Um país incapaz de reproduzir melhorias na equidade e de efetivamente proteger e atender os cidadãos nas suas necessidades sociais básicas.
Um resultado alarmante descrito por Romualdo de Oliveira (1992),que deixa bem claro a situação na exclusão social eescolar:no Brasil ,em 1980,quase 60% da população era constituída de pobres(39%) e de indigentes(17%) é a permanência dos ingressantes no sistema escolar não se alterou de forma expressiva.
Mesmo assim a sociedade teve um grande esforço reformista fazendo com que aos poucos elevássemos em boa medida, alterou a fisionomia do sistema pretérito de proteção social, ao longo do
período1.980-2.000 ,com o objetivo de democratizar o pais .para uma forte estabilidade econômica.

Constituição de 1988

Como ministro da educação, tenho a honra de encaminhar o texto da nova constituição do Brasil á comunidade educacional. ao fazê-lo pretendo ampliar a sua divulgação, permitindo aos educadores maiores conscientização do papel que lhes cabe na afirmação dosdestinos do país.a bem da verdade, se comparada com as anteriores, a nova carta magna valoriza a educação a partir da universalização do ensino fundamental, inclusive aos que a eles não tiveram acesso na idade própria. Trata-se de concepção segura para garantir o exercício da cidadania a lei maior há de ser o alicerce sobre o qual todos estado,família e sociedade, edifiquemos uma políticaeducacional realista, democrática e pluralista.

Brasília, outubro 1988

Hugo Napoleão

* Da educação da cultura e do desporto

Seção 1 da educação

* Art.206. o ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

i- igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.
II -liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.
Iii- pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino.
Iv-gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais.
V- valorização dos profissionais do ensino, garantindo, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso...
tracking img