Dicas para formadores

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1464 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ALGUNS CONSELHOS PARA FUTUROS GRANDES FORMADORES
O PAPEL DO FORMADOR

É um trabalho complexo, cheio de responsabilidades, mas muito gratificante para os que se empenham em fazê-lo bem feito.

Introdução
O trabalho de um formador tem alguma semelhança com o de um vendedor, embora seja
bem mais complexo. O maior problema é que o formador precisa de fazer uma venda
colectiva, vendersimultaneamente a diversas pessoas, que têm valores e características
individuais bastante diversificados. Esses valores e essas características vão do nível
académico aos conhecimentos e interesses, das competências pessoais aos factores de
motivação.

Além disso a mercadoria que o formador tem para vender é substancialmente diferente
daquilo que é comum: em lugar de vender produtos ou serviçospalpáveis e tangíveis, ou pelo
menos minimamente visíveis, ele vende ideias, mensagens, conhecimento.

O trabalho que tem de ser realizado
Para ser bem sucedido na sua missão e objectivos, o formador necessita de assegurar à
priori um determinado número de requisitos básicos, mas absolutamente essenciais:

1. Precisa de vender à sua audiência, isto é a cada um dos seus elementos, a ideia daimportância da sessão, quer em termos dos benefícios pessoais (aquilo que as pessoas
individualmente ganham com isso), quer em termos do seu valor organizacional (aquilo que
as organizações têm a ganhar com os benefícios individuais anteriores).

2. Precisa convencer os participantes de que o material que irá apresentar possui
relevância, oportunidade e umavantagem prática genuína.

3. Precisa fazer o grupo reflectir sobre o material e o tema, conduzindo-o e orientando-o a
proceder a uma análise séria e objectiva, com vista a que dessa reflexão possam resultar
alterações pessoais positivas e duradouras.

4. Durante esse processo de análise, deverá optimizar, ampliar e aprofundar o programa,
inserindo-o no contexto real dosparticipantes, através da colaboração de todo o grupo,
trocando ideias e partilhando experiências.

5. Deve igualmente encorajar os participantes a desenvolveram formas de utilizarem e
aplicarem o programa e seus conteúdos da melhor maneira possível.

6. Deve promover o entusiasmo do grupo. Isso é inerente à liderança, não depende da tarefa
a ser executada. Quantomais entusiasmo o líder conseguir gerar e quanto mais tempo esse
entusiasmo perdurar, maior será a eficácia da sessão.

7. Deve ver-se a si próprio como um elemento da sua própria audiência, assumindo perante
os participantes o papel de líder de equipa.

Resumindo: não é fácil liderar com eficácia uma reunião, curso de formação ou sessão de
desenvolvimento pessoal. É um trabalhocomplexo, cheio de responsabilidades e desafios,
mas muito gratificante para aqueles que realmente se empenham em fazê-lo bem feito.

Mas como é que um formador consegue cumprir estes objectivos?

É neste momento que a missão da liderança se torna perigosa! É que, face à importância da
missão em si mesma, há o risco de o formador se assumir como um show-man, um
homem/uma mulherespectáculo, dando maior prioridade ao sucesso do seu espectáculo do
que ao aproveitamento dos desempenhos da audiência. Isso é um erro grave e fatal.
Não monopolize
O formador lidera, não monopoliza. Em lugar de impor as suas ideias, deve procurar trazer
para a ribalta as ideias do seu grupo. De certa forma, deve agir como um orientador,
procurando extrair o melhor das pessoas, ou seja aquilo que elastêm de mais interessante e
mais valioso.

Desenvolva um plano
Para fazer tudo isto é preciso actuar de acordo com um plano detalhado, feito com a atenção
e o cuidado necessários. O que implica, em primeiro lugar, conhecer o tema e o material do qual irá tratar.

Assim, o formador deve estar bem informado. Nessa informação, inclui-se logo à partida, o ter feito o visionamento do material...
tracking img