Determinação de sodio e potassio

Determinação de Teor Sódio e Potássio em Vinhos por Espectrofotometria de Absorção Atómica


1.Introdução
Vinhos de diferentes regiões contêm na sua composição quantidades de sódio e potássio destintas. Este facto deve-se directamente aos diferentes tipos de solos existentes quer na região do Minho (Vinho Verde) quer na região de Trás-os-Montes (Douro).
Para a primeira região, predominamos solos baseados em formações graníticas, de textura franco-arenosa e naturalmente de acidez elevada. Para a região do Douro, predominam os solos com xisto grauváquico, de textura franco-limosa ou franco-arenosa com teor médio a elevado de potássio.
A concentração de potássio nos solos pode variar, devido a factores externos, com o uso de fertilizantes, nomeadamente o cloreto de potássio e onitrato de potássio. O Bissulfito de sódio também é usado em quase todos os vinhos comerciais, para prevenir a oxidação e preservar o sabor. A determinação da concentração dos referidos metais em vinhos é de elevada importância tanto para o controlo da sua qualidade como para efeitos de saúde pública. Para a determinação do sódio e potássio nas amostras dos dois vinhos, o vinho tinto Porca de Murça,da colheita de 2010, da região do Douro e o vinho verde tinto da Adega Cooperativa de Ponte de Lima, da colheita de 2010, utilizou-se a técnica espectrofotometria de absorção atómica.

2. Parte Experimental
Para a determinação da concentração de sódio em vinhos, mediu-se as absorvâncias de cada um dos padrões, com diferentes diluições e determinou-se a recta de calibração para o catião sódio(Na+). Com o mesmo método mediu-se também as absorvâncias de sódio nos dois vinhos (Verde e Douro). A seguir encontra-se a tabela 1 com os valores obtidos.

Tabela 1- Dados referentes ao sódio [Na+] tanto para a solução padrão como para os vinhos
Solução Padrão Na+ |
Balão | Diluição (ppm) | Absorvância | Erro associado |
1 | 0.1 | 0.039 | 0.004 |
2 | 0.3 | 0.097 | 0.001 |
3 | 0.5 |0.158 | 0.001 |
4 | 0.7 | 0.222 | 0.002 |
5 | 0.9 | 0.280 | 0.001 |
6 | 1 | 0.326 | 0.002 |
Vinhos | Vinho(mL) | | |
Douro | 2 | 0.155 | 0.001 |
Verde | 2 | 0.131 | 0.000 |

Posteriormente procedeu-se à determinação da concentração de potássio em vinhos, medindo-se as absorvâncias de cada um dos padrões, com diferentes diluições, e determinou-se a recta de calibração para ocatião potássio (K+). Com o mesmo método mediu-se também as absorvâncias de potássio nos dois vinhos. A seguir encontra-se a tabela 2 com os valores obtidos.
Tabela 2- Dados referentes ao potássio [K+] tanto para a solução padrão como para os vinhos
Solução Padrão de K+ |
Balão | Diluição (mL) | Absorvância | Erro associado |
1 | 0.1 | 0.014 | 0.001 |
2 | 0.4 | 0.059 | 0.001 |
3 | 0.7 |0.112 | 0.001 |
4 | 1.0 | 0.153 | 0.001 |
5 | 1.3 | 0.203 | 0.000 |
6 | 1.6 | 0.241 | 0.001 |
7 | 1.9 | 0.294 | 0.001 |
8 | 2.0 | 0.304 | 0.004 |
Vinhos | Vinho(mL) | | |
Douro | 1 | 0.159 | 0.001 |
Verde | 1 | 0.196 | 0.003 |

3.Resultados e Discussão
As diferentes características dos solos e do clima das duas regiões vitivinícolas distintas (Minho e Douro), provocam vinhos comdiferentes concentrações dos dois metais em estudo, neste caso sódio e potássio.
Relativamente à concentração do sódio verificou-se uma concentração mais elevada para o vinho verde sendo igual a 120.4 ppm e para o vinho Douro uma concentração igual a 101.26 ppm. Quanto ao potássio, pode - se verificar uma concentração superior para o vinho Verde (12780 ppm) enquanto que no vinho Douro se obteveuma concentração de 10370 ppm.
Os valores obtidos vão ao encontro do que era esperado uma vez que na região do Minho o solo caracteriza-se por possuir uma acidez relativamente elevada. Esta acidez dos solos deve-se, entre outros factores, à existência abundante de potássio, que tem um pH ácido. Deste modo, os vinhos desta região terão na sua constituição uma maior concentração de potássio....
tracking img