Desenvolvimento industrial e meio ambiente

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5002 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1. Introdução:

Grandes empresas passaram a incluir a questão do ambientalismo em sua agenda. Entretanto, Castells assinala que “a maioria de nossos problemas ambientais mais elementares ainda persistem, uma vez que seu tratamento requer uma transformação nos meios de produção industriais e de consumo, bem como de nossa organização social e de nossas vidas pessoais”.[1]A partir do inicio dos testes nucleares e as explosões das bombas atômicas sobre o povo japonês, próximo a metade do século passado, é que surge e se organizam os primeiros ambientalistas, chamados alternativos, procurando mostrar ao mundo a possibilidade de estar sob o comando de malucos poderosos, que poderiam explodir o planeta por conta de suas ambições e egoísmos.
Um dos maisimportantes movimentos sociais dos últimos anos, foi a chamada “Revolução Ambiental”, que promoveu significantes transformações no comportamento da sociedade como um todo e na organização política e econômica mundial. Começando a ser questionada e debatida no final do século XIX, a questão ambiental emergiu após a Segunda Guerra Mundial, promovendo importantes mudanças na visão do mundo. Ahumanidade, pela primeira vez, percebeu que os recursos naturais são finitos e que seu uso incorreto pode representar o fim de sua própria existência. Com o surgimento da consciência ambiental, a ciência e a tecnologia passaram a ser questionadas.
A partir desses questionamentos houve uma maior preocupação para prevenir e precaver situações ocasionadoras de danos ambientais. Algunsautores, consideram a publicação, em 1962, do livro Primavera Silenciosa, de Rachel Carson, como o começo das discusões internacionais sobre o meio ambiente. Porém, pode-se afirmar com certa segurança, que o conceito de desenvolvimento sustentável, teve seu início em 1.968, ano em que constitui-se o Clube de Roma, composto por cientistas, industriais e políticos, que tinha como objetivo discutir eanalisar os limites do crescimento econômico levando em conta o uso crescente de recursos naturais.
Detectaram que os maiores problemas eram: industrialização acelerada, rápido crescimento demográfico, escassez de alimentos, esgotamento de recursos não renováveis, deterioração do meio ambiente. Tinham uma visão ecocêntrica e definiam que o grande problema estava na pressão da populaçãosobre o meio ambiente.
O Clube de Roma propôs na oportunidade através de um documento chamado Relatório Meadow (conhecido como Relatório do Clube de Roma), crescimento econômico zero e influenciou , de maneira decisiva, o debate na conferência de Estocolmo, realizada em 1.972, como a primeira Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano.


2.FATOS HISTÓRICOS E DESASTRES ECOLÓGICOS


Nos séculos passados, o meio natural era visto como mecânico e predominava o pensamento determinista, sendo a natureza colocada como condição ou obstáculo para o desenvolvimento de uma determinada sociedade. Mas, a partir dos anos 60, o caráter preparatório provocado pelo processo industrial foi enfatizado pordiversos autores.
Miltom Santos (1996), por sua vez , enfatizou o papel do Capitalismo Tecnológico e seu impacto no meio natural. Destacou que, hoje a natureza sofre, antes de qualquer coisa, um processo de instrumentalização, tornando-se um processo social e, com isso “desnaturalizada”[2] O meio natural sempre esteve em pauta no debate ambiental, mas hoje a Ecologia e outras ciênciassão influenciadas pelo surgimento de novos paradigmas e o debate ambiental com mais vigor.
A ciência e a tecnologia desenvolveram-se muito rapidamente a partir do início do século XX e a intensificação da atividade industrial tornou suas técnicas de produção cada vez mais sofisticadas e foram multiplicadas ocupando território físico e comprometendo cada vez mais o meio ambiente.[3]...
tracking img