Desenvolvimento do jovem adulto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2450 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS – ESUDA

CURSO DE PSICOLOGIA

DISCIPLINA: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO II

PROFESSORA: JANEIDE

















DESENVOLVIMENTO NO JOVEM ADULTO

























Recife, 2012


1. INTRODUÇÃO


A primeira percepção que se pode ter acerca da vida adulta é de que ela corresponde a uma época estável,sem grandes mudanças. Assim, nesta perspectiva, a vida adulta é uma etapa de estabilidade, onde a personalidade do indivíduo não sofre alterações. O adulto é concebido como alguém que sente adversidade pela mudança.
No entanto, a literatura tem desde há bastante tempo acentuado que o fato da idade adulta não ser de forma alguma uma etapa de estabilidade e imutabilidade. Verifica-se que acognição na vida adulta está muito mais ligada a questões pragmáticas da vida real, e que os adultos geralmente procuram aprender de forma a resolver problemas da sua vida quotidiana.
As mudanças ao longo da vida adulta não se limitam apenas ao nível cognitivo, tornando-se necessário conceber esta etapa como um período evolutivo. A vida adulta é percepcionada como a fase onde o indivíduo atinge amaturidade. No entanto, tal não significa que a maturidade seja algo de estático, sendo ‘adquirida’ mal o indivíduo atinja a idade adulta. Diversas correntes epistemológicas têm bastante influência na análise desta etapa, significando tal fato que não existe uma visão unívoca e singular deste mesmo período. Desta forma, procuramos descrever as diversas perspectivas acerca das transformações queacompanham o indivíduo na fase adulta.













2. DESENVOLVIMENTO NO JOVEM ADULTO

Levinson (1974, 1978) considera que a vida adulta é marcada por períodos de estabilidade e transição. Aos períodos de transição sucedem-se momentos de integração, a que correspondem mudanças na estrutura do indivíduo, ou seja, na forma de ele se ver a si próprio, o mundo e os outros. Nestesperíodos de transição na vida da pessoa, os papéis (casamento, nascimento de filhos, divórcio, viuvez, etc.) que o indivíduo assume têm grande importância. A relevância dos papéis ou tarefas específicas, prende-se não só com a forma como o indivíduo encara esses papéis, mas também pelas expectativas sociais acerca dessas tarefas. Segundo este autor, a vida do indivíduo é constituída por alternânciaentre estruturas estáveis e momentos de transição, podendo estas estruturas serem representadas por faixas etárias.
Lowenthal (1975) acentua a necessidade de se ter em conta a importância dos papéis definidos socialmente na sequência das estruturas de estabilidade e transição, sendo a idade cronológica menos importante nessa mesma sequência. Weathersby (1978) considera que as diversas fases dociclo de vida são marcadas por acontecimentos como (casamento, ser pai, entrada dos filhos na escola, etc.), e pelas novas tarefas que o indivíduo tem de assumir (olhar-se como adulto, procura de estabilidade e segurança, confrontar a mortalidade, etc.). A tensão criada pelos papéis e novas tarefas que o indivíduo tem de desempenhar geram uma situação de conflito entre as capacidades do indivíduoe a exigência dos novos papéis. McClusky (1986) afirma que a mudança na vida adulta é marcada por períodos críticos:

Estes períodos são caracteristicamente produto de experiências decisivamente importantes para as pessoas envolvidas durante as quais podem ocorrer mudanças marcantes nos papéis sociais e no sentido das relações interpessoais. Entrada no mundo do trabalho, progressão nacarreira, transferência de trabalho, desemprego podem representar uma categoria destes acontecimentos. Casamento, o nascimento de uma criança, a morte de um dos conjugues (…) ilustram uma outra categoria. (p. 161)

Brookfield (1987) afirma que estes acontecimentos podem ser positivos ou negativos. Os acontecimentos positivos são aqueles que levam o indivíduo a novas formas de pensamento, em...
tracking img