Desenvolvimento de novos negocios

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1709 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE
CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas

AES ELETROPAULO

Amanda Magalhães Liza
Dayanna Baptiston Semolini
Julia Francisca Costacurta
Patricia Macaferri



1- Base das idéias

Artigo 1- Tecido termoelétrico transforma calor do corpo em eletricidade

Feltro de energia
Osmateriais termoelétricos e sua capacidade para gerar eletricidade a partir de um diferencial de temperatura estão nas manchetes há algum tempo, com promessas como geladeiras de estado sólido e resfriamento de processadores.
Corey Hewitt, da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, agora deu uma "amaciada" na tecnologia termoelétrica.
Ele criou um material termoelétrico flexível, parecido com umtecido, já batizado de "feltro de energia" (Power Felt).
Tecido termoelétrico
O "tecido termoelétrico" é composto por nanotubos de carbono incorporados em fibras de plástico flexível.
Estas fibras, por sua vez, são trançadas para formar um tecido. Como o rendimento de cada "pano" é muito pequeno, são empilhadas diversas camadas para compor o feltro.
O pesquisador propõe usar seu feltro geradorde energia para revestir o assento ou o cano do escapamento dos carros, para aproveitar o calor nos telhados, ou nas roupas, para que o usuário utilize a energia gerada da forma que achar mais útil.
"Nós desperdiçamos um bocado de energia na forma de calor. Por exemplo, recapturar o calor do escapamento de um carro pode ajudar a melhorar o consumo e alimentar o rádio, ar condicionado ou sistemade navegação," diz Hewitt.
Sendo macio e flexível, Hewitt acredita poder usar seu novo material para gerar eletricidade aproveitando o calor do corpo humano, e usar essa energia para recarregar a bateria de celulares e tocadores de MP3.

Artigo 2- Biocélula solar abre caminho para energia verde

Energia verde
Um grupo internacional de pesquisadores anunciou um passo importante rumo àfotossíntese artificial.
Diferentemente das células solares fotovoltaicas, baseadas em elementos semicondutores, as biocélulas solares produzem energia usando estruturas moleculares copiadas das plantas.
Simulando artificialmente a fotossíntese, mas gerando eletricidade como produto final, as biocélulas, ou células fotoeletroquímicas, prometem tornar o conceito de "energia verde" um objetivo muito maisfácil de ser alcançado e, sobretudo, muito mais barato.
Biocélula solar
Barry Bruce, da Universidade do Tennessee, nos Estados Unidos, isolou um componente-chave da fotossíntese, conhecido como fotossistema-I (PSI, de PhotoSystem I), a partir das algas azuis.
Esse composto foi então adaptado por meio de engenharia genética para interagir com um material semicondutor, como o usado nas célulasfotovoltaicas tradicionais, grudando-se a ele.
Essa "célula solar verde" representa um casamento virtualmente perfeito entre o material biológico e o material não-biológico.
O material não-biológico, o semicondutor, entra no processo na forma de minúsculos tubos de óxido de zinco, que atraem as partículas de PSI, que acabam por revesti-los inteiramente.
Um fóton do Sol injeta energia no PSI -"excita" o material, em termos técnicos - que, em resposta produz um elétron. Esse elétron salta para o óxido de zinco, onde é coletado por meio de eletrodos.
Como o processo é contínuo, com bilhões de fótons alcançando o material, o resultado é a produção de uma corrente elétrica.
Energia solar e hidrogênio
Uma das grandes vantagens na fabricação dessa biocélula é que o composto molecular "seinstala" sobre o semicondutor por um processo de automontagem, dispensando técnicas aprimoradas de fabricação.
O importante neste trabalho é a comprovação do conceito, uma vez que a energia produzida ainda é pequena demais para ter uso prático.
"Como o sistema é muito simples e muito barato, minha esperança é que ele permita desenvolvimentos adicionais que o transformem em uma fonte de energia...
tracking img