Desenvolvimento da personalidade na adolescência

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1421 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A nós, resta-nos aceitar aquilo que somos –
Adolescentes para sempre. Porque ser adolescente, a sério,
É nunca desistir “de ser o melhor do mundo para alguém”
Isabel Stilwell, 2002

Introdução
A adolescência é hoje conceptualizada como o período situado entre a infância e a vida adulta. Inicia-se com os primeiros indícios físicos da maturidade sexual e termina com a realização social dasituação de adulto independente. No mundo ocidental, corresponde mais ou menos à época entre os 12 e os 20 anos, contudo existem oscilações deste período etário impostas pelas diferenças entre os sexos, etnias, meios geográficos, condições socioeconómicas e culturais. Num mesmo meio, encontramos grandes variedades de indivíduo para indivíduo: há puberdades muito precoces e outras muito tardias. Poroutro lado uma mesma pessoa em diferentes momentos tem diferentes ritmos de maturação.
A adolescência é também um tempo de progresso. Era considerada no passado apenas como uma breve transição entre a dependência da infância e as responsabilidades da vida adulta atribuída ao jovem. Pouco depois da maturidade sexual, muitas vezes caracterizada por uma iniciação elaborada, o novo adultotrabalhava, casava e tinha filhos. Hoje é considerado um período em que os jovens, após momentos de maturação diversificados, constroem a sua identidade, os seus pontos de referência, escolhem o seu caminho profissional e o seu projecto de vida.
A abordagem que fazemos de seguida à evolução do conceito de adolescência e a algumas teorias explicativas da adolescência têm como objectivo perceber melhor estafase de desenvolvimento humano, que não sendo obrigatoriamente uma fase perturbada pode acarretar algum sofrimento tanto ao adolescente como aos adultos que com ele interagem.

Desenvolvimento da personalidade na adolescência
O conceito de personalidade, apesar de muitas designações, pode ser definido como conjunto de características pessoais, persistentes e suportadas interiormente (Monteiro& Santos, 1998).
Quando nos referimos à personalidade de alguém, devemos ter em conta os seus sentimentos, pensamentos, acções, projectos de vida entre outros (Monteiro & Santos, 1998).
A personalidade é um conceito que apela ao indivíduo, à sua unicidade, àquilo que existe de mais específico em si mesmo, distinguindo-o, desta forma, de todos os outros (Monteiro & Santos, 1998)
Apersonalidade de cada indivíduo vai-se formando e alterando ao longo de toda a sua vida, contudo, é na fase da adolescência em que há efectivamente uma maior construção da sua identidade. A adolescência é uma nova oportunidade ou uma nova incerteza em termos de formação, o que pode levar a uma melhor coesão e pessoais, mas também riscos específicos. “Os adolescentes precisam de abraçar valores eestabelecer compromissos. Precisam de estabelecer laços estreitos com pessoas da sua idade e ser amados e respeitados pelo que são e pelo que significam.” (Ruth Duskin Feldman, 2001)
Em termos da constatação da personalidade, Erickson considera a adolescência como a fase mais crítica do ciclo vital. O filósofo grego Aristóteles já acusava os jovens de serem apaixonados e capazes de se deixararrebatar por impulsos, mesmo quando se imaginavam guiados por aspirações nobres (Cole & Cole, 2003).
Em décadas mais próximas, a associação entre adolescência e crise ganhou maior impacto com a proliferação de trabalhos de base psicanalítica. Tanto nos textos originais de Freud (1978, 1995) quanto nas contribuições de psicanalistas contemporâneos, entre os quais Aberastury (1983), Aberastury eKnobel (1988), Blos (1998), Levisky (1997, 2002), o campo da psicanálise tem dedicado grande atenção aos problemas da adolescência. Por outro lado, este campo também tem contribuído para a fixação de características e a mistificação dessa etapa do ciclo de vida por meio de estratégias tais como reduzir às suas bases fisiológicas os processos afectivos (Freud, 1905/1972); modelar o desenvolvimento...
tracking img