Descartes e hume

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1722 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Descartes afirmava que, para conhecermos a verdade, é preciso, de início, colocarmos todos os nossos conhecimentos em dúvida, questionando tudo para criteriosamente analisarmos se existe algo na realidade de que possamos ter plena certeza.
Fazendo uma aplicação metódica da dúvida, o filósofo foi considerando como incertas todas as percepções sensoriais, todas as noções adquiridas sobre osobjetos materiais.
Assim, o ser humano era para ele, uma substancia essencialmente pensante.
Baseando-se nesse principio, toda filosofia posterior que sofreu a influencia de Descartes assumiu uma tendência idealista, isto é, uma tendência a valorizar a atividade do sujeito pensante em relação ao objeto pensado. Em outras palavras, uma tendência para ressaltar a prevalência da consciência subjetivasobre o ser objetivo.
Descartes, foi um racionalista convicto, recomendava que desconfiássemos das percepções sensoriais, responsabilizando-as pelos frequentes erros do conhecimento humano. Em sua obra Discurso do método, podemos destacar quatro regras básicas, capazes de conduzir espírito na busca de verdade:
1- Regra da evidencia – só aceitar algo como verdadeiro desde que seja absolutamenteevidente por sua clareza e distinção.
2- Regra da análise – dividir cada uma das dificuldades surgidas em tantas partes quantas forem necessárias para resolvê-las melhor.
3- Regra da síntese – ordenar o raciocínio indo dos problemas mais simples para os mais complexos.
4- Regra da enumeração – realizar verificações completas e gerais para ter absoluta segurança de que nenhum aspecto do problemafoi omitido.
É através deste método que Descartes chega às suas três conclusões mais importantes: a existência do ser humano (através da famosa frase “Penso, logo existo”), a existência de Deus (desenvolvida em três provas) e o conhecimento do mundo.
Descartes chega à prova da existência de Deus mediante três provas.
A primeira prova é um passo feito a priori. Segundo Descartes só é possívelimaginar aquilo que realmente existe. Se Deus é a imagem máxima de perfeição como se crê, é porque ele tem mesmo que existir.
Vemos que o primeiro argumento de Descartes é bastante simples. Se em nós existe uma ideia de algo, esse algo tem que existir. Se em nós existe uma ideia de perfeição, então essa ideia está personificada na existência de Deus.
A segunda prova, um passo a posteriori.Descartes conclui que se temos uma ideia de perfeição, sendo nós seres imperfeitos, é porque Deus existe como causa dessa perfeição, visto todas as ideias terem uma causa. Vemos que para Descartes, mais perfeita que a ideia de perfeição, só mesmo a própria perfeição.
Finalmente a terceira prova, tal como a segunda é um passo a posteriori. Descartes afirma que se o Homem se tivesse criado a si mesmo, eleseria perfeito, não teria dúvidas nem limitações. Assim, ele afirma Deus como o ser criador do ser finito e imperfeito e de toda a realidade.
Por fim, Descartes chega a mais uma conclusão: a do conhecimento do mundo, após comprovar a existência de Deus. Descartes afirma, que se Deus é um ser infinitamente bondoso, nunca criaria o ser humano de forma a viver enganado. Então o mundo existe, e Deusé a garantia de que aquilo que conhecemos com razão corresponde a algo realmente existente.
Descartes dá também grande importância à dimensão metafísica do Homem, que no seu entender sustenta toda a ciência. A razão não opera com base nos sentidos, que na opinião dele, apenas conduzem a erros e confusões permanentes, mas em operações fundamentais do espírito que conduzem à verdade e à certeza.São elas, a intuição e a dedução. Segundo ele, a intuição é então o ato puro e mecanizado no Homem através do qual o Homem aprende noções imediatas das quais não tem a mínima dúvida. Já a dedução é o encadeamento das intuições que o Homem relaciona e assim consegue chegar a novas relações e a novas conclusões, devido ao que já conhecia de trás.
Descartes acredita que a razão é a verdadeira...
tracking img