Desafio na construcao de indicadores de sustentabilidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 33 (8166 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Desafios na Construção de Indicadores de Sustentabilidade
RobeRto PeReiRa GuimaRães1 susana aRcanGela Quacchia Feichas2 1 Introdução
O conceito de desenvolvimento sustentável, disseminado a partir da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, Rio-92, enseja mudanças de comportamento na forma como os seres humanos se relacionam com o meio ambiente, bem como no modo deformular, implementar e avaliar políticas públicas de desenvolvimento. Na operacionalização deste conceito emerge, nas agendas de governos e da sociedade, a necessidade de pensar em novas formas de mensurar o crescimento e de garantir a existência de um processo transparente e participativo para o debate e para a tomada de decisões em busca do desenvolvimento sustentável. Neste contexto, umconjunto de indicadores de sustentabilidade exerce a função de advertir à comunidade sobre riscos e tendências do desenvolvimento, se constituindo como uma carta de navegação sobre o futuro (GUIMARÃES, 1998), onde se vislumbra um destino, se acompanha o trajeto e se corrigem os rumos. Este trabalho, com base em pesquisa bibliográfica, analisa cinco propostas de indicadores que são relevantes pela granderepercussão que tiveram ao propor uma nova métrica para o desenvolvimento. Da análise resulta que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), o Índice de Bem-estar Econômico Sustentável (IBES), atualmente Índice de Progresso Genuíno (IPG), a Pegada Ecológica, os Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e a Matriz Territorial deSustentabilidade (CEPAL/ILPES), em função de seus objetivos, variáveis

B. A. em Administração Pública, M. A. e Ph.D em Ciência Política, Professor da EBAPE – Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da FGV – Fundação Getúlio Vargas, Coordenador do NAPSA – Núcleo de Análises e Projetos Socioambientais e Vice-Presidente do Comitê Científico do IHDP – International Human DimensionsProgram on Global Environmental Change.
1

B. A. em Administração Pública e Mestre em Ciência Ambiental, Consultora e Coordenadora de Cursos na FGV, Rio de Janeiro – RJ, E-mail: susana.feichas@fgv.br.
2

autor para correspondência: Roberto Pereira Guimarães, FGV/EBAPE - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Praia de Botafogo, 190, Sala 522, CEP 22.250-900 – Rio de Janeiro,RJ, E-mail: roberto. guimaraes@fgv.br. Recebido: 30/3/2009. Aceito: 15/7/2009. Ambiente & Sociedade


Campinas v. XII, n. 2



p. 307-323



jul.-dez. 2009

308

Guimarães e Feichas

adotadas, forma de mensuração e comunicação, aportam contribuições significativas e diferenciadas para a construção de indicadores de sustentabilidade. Apesar dessas contribuições, a presenteanálise identifica que há desafios a serem superados na construção de indicadores de sustentabilidade de modo a agregar concomitantemente aspectos considerados imprescindíveis para promover mudanças na sociedade e subsidiar decisões de políticas públicas, tais como: multidimensionalidade, comparabilidade, participação, comunicação e relacionamento entre as variáveis.

2 A razão para indicadores
2.1Desenvolvimento sustentável Segundo Guimarães (1998), as raízes modernas do conceito de desenvolvimento sustentável encontram-se na Conferência de Estocolmo em 1972, quando, pela primeira vez, chamou-se atenção para os impactos negativos do processo de desenvolvimento no meio ambiente e no tecido social, ocasião na qual tomadores de decisão do mundo inteiro foram alertados sobre a existência deoutras dimensões do desenvolvimento, para além da dimensão econômica. Entretanto, atualmente, a definição mais aceita de desenvolvimento sustentável é a que ficou consagrada no Relatório Brundtland, de 1987, e foi difundida durante a realização da Rio-92, podendo ser resumida à seguinte sentença: “atender às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer...
tracking img